Quanto da tese ou dissertação pode derivar em artigo?

artigoDe um lado o pesquisador quer e necessita publicar seus feitos e descobertas através de artigos científicos, que é o formato de maior visibilidade no meio. Do outro, este precisa também publicar seu manuscrito, a tese ou dissertação, geralmente em formato de livro.

Para ambas situações, os dados provém do projeto de pesquisa. Mas a resposta para o pergunta do título deste é artigo é NÃO, essa prática é considerada antiética, e denominada AUTOPLÁGIO. E dependendo do caso, pode ser julgada como um ato ilícito.

Mas vamos com calma, que nem tudo está perdido. Há modos éticos para o pesquisador terminar o projeto com um “final feliz”, ou seja, publicando seus artigos, assim como seu manuscrito. Abordaremos neste texto algumas situações neste contexto:

1. Será que um editora aceitará um manuscrito no qual 2 ou 3 capítulos já estão disponíveis como artigos?

É evidente que NÃO. Principalmente porque é cada vez mais comum a disposição desses documentos on-line. E é óbvio que editora nenhuma quer ser julgada como conveniente ou omissa a um ato de plágio.

2. Qualquer publicação é boa publicação (ou quase isso)

Uma publicação revisada por pares, certamente pode ajudar o estudante a conseguir uma boa impressão em suas publicações. Quando se revisa dessa forma, o estudante tem a chance de fazer a modificações necessárias em ambos os textos para que eles não pareçam a cópia do outro. Ajustando sempre, a dose de informações dentro do perfil de cada uma das publicações. Lembrando que, sempre necessárias, as citações às referências deverão ser feitas.

Além do que, as revisões exigidas pelas editoras, de qualquer maneira sempre alteram a “cara” do trabalho. Isto também implica dizer que o manuscrito, nunca poderia ser uma cópia fiel do artigo e vice-versa.

Finamente, após as publicações, geralmente, quando alguém se interessa muito pelo artigo existe a tendência de procurar a tese. O caminho inverso, é incomum.

3. Mais de um artigo

O número de artigos pode não ter efeito sobre as chances de publicação. Assim, nem sempre convém escrever apenas por escrever.

Se seu manuscrito está disponível on-line em e ainda em formato integral, ter um artigo “mais do mesmo” publicado, definitivamente não significa mais opções de disponibilidade de informações e sim, repetição destas.

É sempre positivo uma boa produção de publicações. Mas não se pode desconsiderar a qualidade.

4.    Seja cauteloso ao publicar mais de dois artigos sobre um mesmo projeto

Se for identificado que você publicou uma série de artigos, mas eles são todos os capítulos da sua dissertação, pode parecer que você está tentando fazer o seu registro de publicação parecer mais impressionante do que é.

Opções para mais de dois artigos:

Use o material de onde foi obtida a versão final da sua dissertação.
Reserve as fontes interessantes que você sabe que não vão aparecer na sua dissertação, mas podem auxiliá-lo na construção de um bom artigo.

i.         Arquive-os separadamente

ii.        Não lide com eles até terminada a dissertação

iii.        Deverá ser algo relacionado, provavelmente, com o seu tópico, mas diferente o suficiente daquilo que será fornececido na profundidade da sua dissertação.

 5.    Por fim, você deve decidir.

Peça as opiniões do editores, colegas e orientadores, pois eles pertencem a diferentes campos e proporcionarão opiniões que embasarão a sua decisão. E por fim, faça a sua decisão levando todas as considerações mencionadas como parte de um plano.

 

Referências

http://www.puc-rio.br/sobrepuc/admin/vrac/plagio.html

http://blog.scielo.org/blog/2013/11/11/etica-editorial-e-o-problema-do-autoplagio/#.VOx7Dy7xRuY

Anterior
Como transmitir suas ideias usando repetição de variação
Próximo
15 erros ortográficos mais comuns no Inglês

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *