Plágio: difícil de definir, fácil de cometer

PlágioSegundo o dicionário, plágio é a cópia total ou parcial de uma obra produzida por outra pessoa sem a atribuição dos devidos créditos, alegando assim uma falsa propriedade. Pode ocorrer em materiais de qualquer natureza, como livros, músicas, fotografias, trabalhos acadêmicos etc.

Para manter uma boa conduta e evitar o risco de plágio, é preciso estar muito atento a cada informação de um documento, pois é comum, inclusive, que o plágio ocorra de forma inconsciente. Isso demonstra que,  apesar de o tema ser bastante divulgado e ter regras bem estabelecidas, a identificação do plágio ainda gera muitas dúvidas em comunidades acadêmicas do mundo inteiro.

O fato é que, ainda que o plágio não seja intencional, será visto como conduta antiética, estando sujeito, em muitos países, a penalidades de ordem criminal. Ou seja, independente das circunstâncias em que tenha sido cometido, uma vez praticado e os autores terão de responder pela má-conduta, de modo proporcional à gravidade do desvio.

O site plagiarism.org identifica os dez tipos de plágio mais comuns e os classifica de acordo com sua gravidade:

  1. Clone – copiar o trabalho de outro autor, palavra por palavra, como se fosse seu.
  2. CTRL+C – copiar porções significativas de texto originadas de uma única fonte.
  3. Substituição (Find-replace) – alterar frases e palavras-chave, mantendo o conteúdo de origem.
  4. Mistura (Remix) – reunir paráfrases de várias fontes e utilizá-las em conjunto.
  5. Reciclagem (Recycle) – reproduzir trechos do próprio trabalho sem citá-lo (auto-plágio).
  6. Hibridez (Hybrid) – combinar fontes creditadas com passagens copiadas sem citação.
  7. Mistura (Mashup) – misturar materiais copiados de múltiplas fontes.
  8. Erro 404 – incluir citações com informações inexistentes ou imprecisas sobre as fontes.
  9. Agregador (Aggregator) – fazer citações de forma adequada, mas não adicionar informações sobre as referências citadas.
  10. Retuitar (Retweet) – incluir citação adequada, mas com muitas dependências em relação à redação ou à estrutura original do texto de refêrencia.

Consequências

  • correção simplória, sem complexidade para o avaliador.
  • necessidade de retratação pública e correção (se o seu trabalho já foi publicado).
  • sérias consequências legais, dependendo das políticas de plágio da sua instituição acadêmica.

Determinação da Intencionalidade

  • O desafio está em determinar até que ponto a falha foi intencional ou não.
  • De acordo com o ranking do Plagiarism, a gravidade do ato varia de acordo com os diferentes níveis de intenção.
  • Quando um texto apresenta a pontuação máxima ao ser analisado por um software de detecção de correspondência (plágio), essa pode ser uma sólida evidência de má conduta do escritor.
  • No entanto, é certo julgar um plágio do tipo Híbrido com a mesma rigidez que trataria um plágio do tipo Clone? Essa é a questão!
  • O software de correspondência de texto provavelmente localizaria o plágio nas duas situações mencionadas, mas não há uma diferença significativa na intencionalidade dos dois casos? Isso é o que precisamos analisar.

Estudantes apostam na boa sorte

  • Estudantes pressionados por prazos curtos por vezes apostam que um professor em condições semelhantes não utilizará o software.
  • Pode ser que a má conduta passe despercebida algumas vezes, mas a maioria dos casos não ocorrerá assim. Um parágrafo bem escrito se destacará claramente em meio a um documento mal construído!

O plágio sem intencionalidade

  • Citação incorreta, colocação indevida de aspas, deixar de mencionar uma frase devido a algum mal-entendido, todas essas posturas são consideradas plágio!
  • Se um pesquisador não estiver familiarizado com o guia de estilo de uma revista e cometer um erro, ele involuntariamente será acusado de plágio!

Uma medida não serve para todos

A cada dia, mais variáveis são envolvidas em plágio.

  • É necessário um trabalho de reeducação ao invés de um sistema de punição automática.
  • Por isso, parte dessa avaliação de intencionalidade deveria incluir a verificação de como o pesquisador foi orientado sobre plágio em cursos anteriores.
Anterior
Elementos de uma pesquisa de qualidade
Próximo
Você está Preparado para Cursar a Pós-Graduação?

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *