Maximizando seu tempo: Quando escrever, pesquisar e editar

estudo-planejamentoEscrever artigos acadêmicos é algo que faz parte da rotina de qualquer pesquisador e que certamente demanda foco e esforço, mas você já parou pensar que este trabalho é composto de etapas diferentes e que cada etapa demanda um esforço específico? Pode parecer simples refletir sobre isso, mas saber exatamente o que cada etapa demanda ajuda a traçar uma estratégia de trabalho mais consciente que pode contribuir para melhorar seu foco e maximizar seu tempo.

O “truque” para maximizar seu tempo é não se desgastar realizando uma dessas etapas quando você poderia/deveria estar focado em outras. Transitar indisciplinadamente entre cada etapa pode levá-lo a perder o foco geral do trabalho, comprometendo seus resultados. Mas para controlar as etapas do trabalho e melhorar sua produtividade, é importante conhecê-las bem.

Pesquisando

A parte da pesquisa é fundamental para obter um bom resultado final e quando bem feita ela torna a escrita muito mais produtiva. Como se sabe, todo artigo possui um problema de pesquisa, por isso é importante tê-lo bem claro e definido antes de começar a pesquisar para que você não perca tempo com leituras que não ajudarão em seu resultado final.

Sendo uma parte mais passiva do trabalho, a pesquisa é uma fase que tende facilmente a gerar dispersão e perda de foco. Por isso, uma vez que tenha definido seu tópico e abordagem, hierarquize o modo como pretende desenvolver o tópico e parta para a pesquisa tendo em mente esta organização para evitar dispersão. Quando sentir que já possui material suficiente para sustentar a estrutura do texto, você está pronto para iniciar a escrita.

Escrevendo

A escrita é uma etapa mais ativa e criativa e é o momento em que o pesquisador, após dialogar com os textos lidos na fase da pesquisa, dá sua contribuição. Porém, por ser a etapa mais criativa a escrita pode levar à dispersão em função da ansiedade em apresentar muita informação no texto. Por isso mesmo é importante ter um esquema prévio de apresentação das ideias e de desdobramento gradual do problema de pesquisa ao longo do texto, esquema este que deve guiá-lo desde a fase da pesquisa, como mencionado anteriormente.

Uma questão importante na parte da escrita é não podar em demasia o que é escrito antes de concluir unidades completas do texto. Isso evitará que boas ideias e parágrafos sejam dispensados prematuramente, uma vez que só é possível ter noção da qualidade da apresentação de ideias numa passagem ou bloco de texto quando este está completo. E caso você “trave” na fase da escrita por falta de ideias ou argumentos, convém fazer uma pausa e retomar a pesquisa até que encontre as respostas que procura.

Editando

Na parte da escrita você não deve se prender a questões muitos específicas sobre o texto final, como problemas de gramática, sonoridade ou coesão. Esses aspectos devem ser avaliados quando o texto já estiver completo, na parte de edição. A edição é a parte mais técnica do processo, na qual você deve focar-se nos ajustes de detalhes do texto, em seu acabamento final. Por isso é importante realizá-la quando o texto já estiver concluído para que você tenha uma impressão global do artigo e possa ajustá-lo a fim de torná-lo um todo coeso. Embora seja uma etapa mais passiva que a escrita – assim como a pesquisa -, a edição é igualmente analítica, já que aqui você observará o sentido e qualidade gerais do seu texto.

Se o artigo for longo ou se tratar de um tema complexo, você pode dividir o texto em blocos (seguindo os intertítulos, por exemplo) e realizar as três etapas bloco por bloco. Mas é importante não esquecer a edição final, para que você possa editar o texto tendo uma visão global do trabalho.

Anterior
Como superar o perfeccionismo
Próximo
Grupo de redação científica e os Benefícios ao Pesquisador

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *