20 cadernos de laboratório digitais para você documentar e organizar sua pesquisa

05 January 2015  |  Postado em Mundo Editorial Científico   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

hero_peekTecnologias digitais permitem o armazenamento de dados multimídia (textos, imagens, áudio, vídeos) e que podem ser acessados facilmente. Porém, mais do que uma questão de praticidade, armazenar dados de pesquisa num caderno de laboratório digital ajuda a preservar o material por mais tempo e permite que outros pesquisadores utilizem informações e descobertas como fonte, otimizando o fazer científico em equipe. A seguir, uma lista com 20 programas de uso geral para documentar e organizar dados de pesquisa, facilitando sua rotina de laboratório.

1) Labfolfer: Além de versão gratuita, o diferencial do Labfolder como caderno de laboratório digital é sua interface amigável – que reproduz um caderno de laboratório – e a possibilidade de armazenar diferentes blocos de anotações para diferentes projetos de pesquisa.

2) Evernote: Talvez o mais conhecido caderno de laboratório digital, o Evernote é bastante interativo e possui grande capacidade de armazenamento de diversas fontes. Apresenta versão gratuita, premium e business (para equipes). Sua sistema já foi traduzido para o português.

3) eLabFTW: O eLabFTW, ou Eletronic Lab for the World, apresenta ao público como seu diferencial o fato de ser um caderno de laboratório digital pensado por pesquisadores para o trabalho de laboratório em equipe. Ele possui interface amigável, é multiplataforma e apresenta vários recursos para customização do armazenamento de experimentos.

4) MindMapper: A proposta do MindMapper é organizar ideias de forma lógica e visual – como num mapa mental -, através de sofisticados diagramas. O programa apresenta várias versões (sendo sempre pago, com uma amostra de teste gratuito de 30 dias) e permite inclusive a colaboração entre diferentes membros de uma mesma equipe.

5) Livepad: O principal atrativo do Livepad é seu aspecto multimídia. O programa captura e armazena arquivos de texto, imagem (desenhos e fotos) e áudio, oferecendo uma maior riqueza de recursos para organizar informações sobre a pesquisa. Todas as suas versões são pagas e oferecem uma amostra de teste gratuito de 30 dias.

6) OneNote: Extensão do pacote Windows, o OneNote é vantajoso para aqueles que já utilizam este sistema operacional. Além disso, possui os diferenciais de ter versão em português e ser gratuito.

7) Stickies: O Stickies está longe de ser sofisticado como os demais programas, mas funciona bem para quem tem o hábito de produzir notas avulsas que precisam de mais espaço que aquele oferecido pelos post-it digitais. Além disso, o Stickies também permite que imagens sejam inseridas nas notas, mais uma vantagem em relação às notas post-it. O programa é gratuito e possui versão em português.

Outras opções

Além dos programas citados acima, há muitas outras opções que podem ser mais atrativas ao seu modo de trabalhar ou talvez mais acessíveis à sua disponibilidade de recursos (no casos dos programas pagos). São eles: 8) askSam; 9) Debrief Notes; 10) SplashNotes; 11) UltraRecall; 12) Notes Organizer(PrimaSoft); 13) WhizFolders; 14) Monster Journal; 15) Eletronic Laboratory Notebook (PNNL).

Independentemente de sua escolha, antes de decidir qual programa de caderno de laboratório digital adotar convém fazer um “test drive” para ver como sua rotina de pesquisa se adapta ao mesmo. No caso dos programas pagos, geralmente é possível testá-los por 30 dias antes de optar pela compra.

Específicos para produtos Apple

Para usuários do sistema operacional da Apple, há programas que podem servir como caderno de laboratório e ajudar a organizar sua pesquisa. Algumas opções são o Yojimbo, o OmniOutliner, o Circus Ponies e o DEVONThink. Todos possuem interfaces amigáveis e são fáceis de manusear, porém, enquanto o Yojimbo e o OmniOutliner possuem estrutura mais simples, sendo organizadores mais primários, o Circus Ponies e o DEVONThink são mais elaborados e apresentam mais recursos.

Dica final: o vigésimo item desta lista não é um sistema operacional, mas um acessório que pode ajudar aqueles que têm mais dificuldade de migrar do caderno material para o caderno de laboratório virtual. Trata-se da smart pen (ou caneta inteligente), um bom recurso para quem deseja digitalizar anotações, mas sente falta de escrever à mão. Ela permite que anotaç

Anterior
Prós e contras e de ser um pesquisador multitarefa
Próximo
Entenda a diferença entre edição e revisão de textos traduzidos