Como se preparar para avaliações orais

avaliacao-oralEm alguns momentos ao longo da sua graduação ou  pós-graduação, seja no mestrado ou doutorado, pode ser que você tenha que realizar avaliações orais e fica a grande questão: como estudar para este tipo de avaliação? Não existe uma regra, mas não se sinta pressionado a tentar novas técnicas de estudo mirabolantes ou se martirizar para descobrir se existe uma técnica mais eficaz que outra. O mais importante é que você domine o conteúdo que será avaliado, e para isso algumas dicas básicas para estudo se aplicam perfeitamente. Um conselho para obter bons resultados e focar nas seguintes ações: organizar, ler, resumir, revisar e confiar.

Leia e Resuma

Após preparar o ambiente adequado e organizar todo o material que você usará em seu momento de estudo, não há escapatória a não ser mergulhar no conteúdo. Geralmente quando se estuda para um exame os textos que serão usados já foram lidos previamente para aulas, e por isso você já deve ter anotações ou grifos das passagens mais relevantes destas obras. Se houver alguma obra que você usará em seu estudo que ainda não tenha passado por esse processo, comece por essa etapa.

Uma vez que você tenha feito anotações ou grifos de todos os textos usará, comece a fazer seu resumo. Resuma páginas ou subtópicos dos textos para ter uma noção sobre os principais pontos de um determinado bloco de conteúdo. Para cada parte resumida, seu esquema deve conter: indicação de página dos trechos transcritos de forma direta e indireta – e não esqueça de identificar o resumo específico de cada obra com dados bibiográficos; principal argumento e subargumento; fontes e métodos usados; seus comentários críticos sobre o tópico; um breve comentário sobre como a questão do texto dialoga com o campo maior de conhecimento no qual está inserida e qual sua relevância. Faça esse processo para cada obra que esteja em sua lista de estudos e procure montar um calendário de modo que você consiga estudar sem correr contra o tempo antes da data das avaliações orais.

Revise  e confie no apoio dos colegas

Se você tiver uma margem grande de tempo até a data das avaliações orais (apresentação do projeto de pesquisa, Defesa de Tese ou TCC), revise o conteúdo a cada três semanas relendo o resumo feito de cada obra. Ao terminar de ler o resumo, procure fazer uma síntese mental ou escrita do que foi lido para certificar-se de que você é capaz de argumentar sobre aquele conteúdo. Nesta e em outras etapas estudar em grupo e contar com o apoio dos colegas pós-graduandos ou da graduação pode ser bastante produtivo. Já que todos estão estudando tópicos semelhantes, você pode participar de um grupo de estudos em seu curso de graduação ou pós-graduação para trocar anotações e informações, de modo a tornar o estudo mais proveitoso e menos monótono. Neste caso, é importante lembrar que não se trata de uma competição para ver quem sabe mais, mas sim de um trabalho colaborativo. Outro conselho é pedir dicas a colegas da graduação ou pós-graduandos mais antigos no curso. Pergunte-lhes como eles se preparam para as avaliações orais, que questões foram aplicadas no teste e o que eles fariam diferente se soubessem como seria o estilo da avaliação.

Quanto tempo falta?

Faltando apenas três semanas para os exames, você já estará com tudo em dia e apenas revisando ciclicamente o conteúdo. Diminua um pouco o ritmo do estudo quase diário para não aumentar a tensão, já que seu cérebro também precisa de descanso para funcionar bem. Duas semanas antes retome a rotina intensa de estudo e procure reler o máximo de partes possível do resumo, principalmente os pontos mais difíceis ou complexos. Procure pensar como as obras dialogam entre si, isso lhe ajudará a fazer inferências lógicas e a lembrar mais facilmente dos conteúdos. Peça a um colega que faça uma prévia de avaliação oral com você para testar sua capacidade argumentativa.

Faltando de sete a cinco dias para avaliação, procure pensar de forma analítica sobre tudo o que você estudou. Para isso, faça uma lista de possíveis grandes blocos temáticos de discussão que tenham aparecido ao longo do seu processo de estudo. Questione-se também sobre os ganhos acadêmicos deste processo: que métodos mais lhe impressionaram? Que livros lhe abriram os olhos para novas possibilidades em sua pesquisa?

Já nas últimas 24 horas antes do teste, o foco deve ser descansar, e não mais estudar, para não aumentar sua ansiedade. No dia do teste, tenha com você uma garrafinha de água escolha trajes que sejam confortáveis, apropriados e frescos, já que o nervosismo do momento pode fazê-lo suar. Pergunte com antecedência se você pode levar papel e caneta no dia do exame e ao ouvir as perguntas pense antes de respondê-las. Quanto mais você focar e investir em técnicas de estudo, mas preparado se sentirá no dia do teste e sua ansiedade tenderá a diminuir. Lembre-se também que exames orais são apenas mais uma modalidade de exames de qualificação do mestrado ou doutorado, e o que contará sempre é seu preparo geral ao longo do curso, logo, se você é um pós-graduando dedicado, não há o que temer.

Anterior
Como eu sei se o meu trabalho está pronto
Próximo
Motivos para dar um tempo entre a graduação e a pós-graduação

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *