Como estruturar sua dissertação

escrevendoAo contrário do que se possa imaginar, a primeira parte de uma dissertação a ser pensada deve ser o sumário. Ainda que você venha a mudá-lo ou ajustá-lo (o que é muito comum e provável que ocorra), ele irá guiar sua linha de raciocínio e ajudá-lo a priorizar informações e estruturar blocos de texto, dando coerência à sua argumentação. Não existe uma regra que defina como deve ser a estrutura da dissertação, mas, no geral, ela segue a ordem dos processos pelos quais você passou ao longo de sua trajetória de pesquisa. A seguir, um “esqueleto” estrutural mostrando como os diferentes tipos de conteúdo devem ser organizados na dissertação:

1. Resumo

O resumo deve ser algo breve e objetivo, capaz de apresentar em linhas gerais o principal objetivo e hipótese do trabalho, além de dar diretrizes sobre os resultados obtidos, mas nada muito detalhado ou extenso.

2. Introdução

Na introdução é importante falar sobre a trajetória da pesquisa, de onde você partiu, como surgiu o interesse pelo tema e a construção e escolha do recorte. No caso de concluintes de mestrado ou doutorado, vale voltar ao projeto de pesquisa original para rememorar como a trajetória da pesquisa foi iniciada e as modificações que ela sofreu. A introdução também deve anunciar a estrutura da dissertação, dando diretrizes sobre o foco e objetivo de cada capítulo.

3. Fundamentação teórica

Como já foi dito, não existe uma regra rígida que defina a estrutura da dissertação, mas existem alguns consensos que visam guiar a leitura do material a fim de facilitá-la. Um destes consensos determina que o primeiro capítulo seja dedicado à fundamentação teórica do trabalho. É importante que a fundamentação seja apresentada logo como cartão de visitas para informar a seu leitor sob que ponto de vista você analisará seu objeto de pesquisa e suas descobertas, bem como com quais autores você estará dialogando ao fazer essa análise.

4. Metodologia

A metodologia indicará como você conduzirá sua análise, que procedimentos adotará a fim de obter os resultados que busca. A sua escolha metodológica pode ser apresentada e justificada em paralelo à fundamentação teórica, e ambas não precisam ficar restritas apenas o primeiro capítulo da dissertação, podendo abranger o segundo também. O importante é que sejam apresentadas antes da análise, de modo a construir o terreno para a interpretação da mesma a partir da argumentação sustentada na dissertação.

5. Análise e resultados

O capítulo (ou capítulos) da dissertação dedicados à apresentação dos resultados e análise dos mesmos deve suceder a apresentação da fundamentação teórica e metodologia, porque é à luz deste conteúdo que você analisará os resultados obtidos. No processo da análise devem também ser recobradas passagens teóricas que reforcem suas descobertas e conclusões, justificando suas escolhas teóricas.

6. Conclusão

O momento de “amarrar” o trabalho deve ser mais que um breve resumo de suas descobertas. Este é o espaço também para avaliar as limitações da sua pesquisa e vislumbrar de que modo as lacunas deixadas podem abrir caminho para futuros projetos.
Oferecemos aqui uma lógica geral de organização da estrutura da dissertação. Obviamente, seus capítulos deverão ter títulos e intertítulos referentes ao tema que exploram, e não o nomes genéricos que indicam a natureza do conteúdo – como mostrado aqui e como costuma-se organizar projetos de pesquisas. Para saber como estruturar uma dissertação na prática, procure exemplos de dissertação que explorem tema semelhante ao de sua pesquisa para inspirar-se. E antes de começar a escrever, apresente a seu orientador uma proposta de estrutura de dissertação para que vocês possam juntos discutir que estrutura se adequa melhor a seu trabalho.

Anterior
O que é Revisão por Pares?
Próximo
Pensando globalmente: a tradução como estratégia de alcance global

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *