Pesquisa Qualitativa: Quando utilizar?

estudo-indiosPesquisar grupos humanos é uma tarefa árdua para acadêmicos se comparada aos métodos de pesquisas mais precisos utilizados nas ciências naturais. Nas ciências naturais pode-se usar os métodos quantitativos para pesquisar a ocorrência de fatos, enquanto nas ciências sociais tais métodos, se aplicados isoladamente, muitas vezes não dão conta dos objetivos da pesquisa por não oferecem a análise das condições do contexto de produção destes dados. Para estes casos, aplicam-se as vantagens da pesquisa qualitativa, que permitem uma compreensão mais abrangente da dinâmica de diferentes grupos humanos.

Um método indutivo

Métodos qualitativos são indutivos e não dedutivos. Na análise qualitativa não há obrigação de manipular variáveis e de transformar dados numéricos em estatísticas aplicáveis à pesquisa; o foco aqui está nos dados que o processo pode oferecer, na observação com a intenção de descrever e entender as características de um determinado contexto. Esta perspectiva permite que o método qualitativo seja útil à percepção de opiniões, sentimentos e experiências, captando estas variáveis para fins de análise.

O método qualitativo retém a dinâmica da natureza das entrevistas ou grupos de discussão. A presença do pesquisador, seja como um observador oculto ou como líder de grupo focal, permite que a comunicação não verbal dos participantes do grupo também sejam levadas em consideração no processo de análise de resultados. Uma das muitas vantagens do método qualitativo é permitir que pesquisadores tenham liberdade para sondar as questões propostas para além das respostas iniciais que os membros do grupo focal oferecem, respostas estas que podem ser de suma importância para a pesquisa em curso.

Teorias qualitativas

A metodologia qualitativa não é abrangente apenas em sua concepção da análise de dados, mas também em relação a seus múltiplos métodos a depender do tipo do contexto, grupo pesquisado ou finalidade. Dentre suas variantes encontramos a fenomenologia, etnografia e teoria fundamentada.

Fenomenologia – consiste na descrição da “experiência vivida” de um fenômeno através da reconstrução de entrevistas de cunho narrativo realizadas com pessoas que vivenciaram um determinado acontecimento ou período.

Etnografia – tipicamente usada na pesquisa antropológica para desenvolver um “retrato de um povo” através de estudos descritivos e entrevistas diretas em determinado contexto cultural.

Teoria fundamentada – proposta primeiramente por Glaser e Strauss em 1967, a teoria fundamentada segue procedimentos de coleta de dados estipulados para desenvolver categorias conceituais distintas. Existe divergência no meio acadêmico sobre o caráter da teoria fundamentada – se a mesma é ou não uma metodologia qualitativa – mas muitos defendem que esta metodologia é de fato indutiva.

Limitações do método

Assim como qualquer outra metodologia, os métodos qualitativos também possuem limitações e obviamente não se aplicam a qualquer tipo de pesquisa. Há tipos de pesquisa, por exemplo, que se ajustam muito melhor a métodos quantitativos por demandarem maior análise de dados estatísticos para obter os resultados pretendidos. Uma vez que na pesquisa qualitativa a coleta de dados baseia-se na observação individual do pesquisador ou em entrevistas de grupos específicos em tempo real, o potencial para generalizar temas mais amplos é limitado se comparado ao potencial da pesquisa quantitativa. Por estas divergências entre os métodos qualitativos e quantitativos, os mesmos muitas vezes são usados de modo complementar, oferecendo bons resultados.

Além das limitações do tipo de pesquisa, as próprias vantagens dos métodos qualitativos também apresentam seu lado menos positivo. Para começar, como a coleta de dados se dá através de observação direta ou entrevistas, o trabalho por parte dos pesquisadores se torna mais intenso, uma vez que trabalha-se com variáveis imprevisíveis. Em segundo lugar, a análise qualitativa permite uma maior abertura na interpretação dos dados coletados, o que aumenta as chances de interpretações enviesadas por parte do pesquisador que conduz a pesquisa baseadas em pré-concepções. Ainda assim, estando atento a estas limitações e sendo o método adequado à pesquisa que se deseja realizar, a análise qualitativa pode produzir excelentes resultados – ressalvas estas que podem ser feitas à aplicação de qualquer metodologia de análise.

Anterior
Qual a importância das competições acadêmicas?
Próximo
Edição e Revisão de Texto: Falar não é escrever

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *