ORCID vs. ISNI: Há lugar para os dois?

orcid INSIMuito conteúdo é produzido no meio acadêmico ao redor e, para fins dos mais diversos – como direitos autorais, pagamento de royalties, compartilhamento de conteúdo em bases de dados, etc. -, este conteúdo precisa ser identificado de forma a evitar ambiguidades. No âmbito dos livros e outras publicações não-seriadas, o identificador único utilizado é o ISBN – International Book Number. Já no caso de periódicos e outras publicações seriadas utiliza-se internacionalmente o ISSN – Standard Serial Number. Porém, diante do rápido crescimento da produção acadêmica e do intenso intercâmbio mundial, ainda existe espaço pra confusões no âmbito da autoria, o que tem levado ao desenvolvimento de identificadores de precisão maior.

O ORCID e a identificação de pesquisadores

Lançado em outubro de 2012, o ORCID – Open Researcher and Contributors ID é um código alfanumérico criado para identificar exclusivamente pesquisadores acadêmicos. O ORCID proporciona aos pesquisadores um identificador único que se propõe a ser universal e através do qual estes poderão ter sua autoria determinada em qualquer plataforma. A identificação de 16 dígitos do ORCID foca exclusivamente na pesquisa acadêmica realizada pelos indivíduos e o seu acesso para pesquisadores é atualmente gratuito, além de possuir um caráter não lucrativo.

Visando criar um sistema de identificação numérica unificada, para obter este fim o ORCID precisa obviamente popularizar-se e tornar-se uma ferramenta largamente aceita. Graças a seu caráter não lucrativo e sua acessibilidade gratuita, – além do fato de estar associado ao ISNI, que é certificado pelo ISO – o ORCID tem recebido bom respaldo de instituições acadêmicas, organizações profissionais e agências de fomento e publicação científica. Este identificador único apresenta a grande vantagem de estar adaptado à nova era da publicação acadêmica digital, permitindo que um único código identifique autores em qualquer plataforma ou base de dados digital existente.

ISNI vs. ORCID

Apesar da aparente oposição entre estes dois códigos, eles apresentam muito em comum: assim como ORCID, o ISNI também foi lançado em 2012, só que mais cedo; ambos são administrados por empresas sem fins lucrativos; ambos também se configuram em códigos alfanuméricos de 16 dígitos; e, como dito anteriormente, as empresas que os administram são parceiras. A diferença entre os dois é que o ISNI é mais abrangente que o ORCID e o primeiro é reconhecido pelo ISO – International Organization for Standardization (Organização Internacional para Padronização).

O ISNI é mais abrangente que o ORCID por ser um identificador numérico que trabalha no nível da identificação de indivíduos que contribuem com conteúdo midiático em geral, como livros, programas de televisão e artigos publicados em revistas. Neste sentido, o ISNI e o ORCID são parceiros porque este último pode ser considerado uma “perna” do primeiro especializada em contribuições acadêmicas. As empresas agora estão trabalhando em cooperação para concretizarem o ORCID como “perna acadêmica” do ISNI, de modo que os códigos das duas identificações não coincidam, uma vez que um mesmo indivíduo pode possuir os dois códigos. Para que isso ocorra, o ISNI está agora reservando um “bloco de identificadores” destinados unicamente para designarem códigos ORCID.

ISNI no controle

Por ser um código mais abrangente e com respaldo do ISO, certamente o ISNI deverá assumir a dianteira no processo de cooperação com o ORCID. O poder do ISNI se reflete também em número de adesões: mesmo cobrando atualmente 25 dólares por adesão (enquanto o ORCID possui adesão gratuita), o ISNI em seus primeiros dois anos de existências criou mais de oito milhões de código, enquanto o ORCID no mesmo período criou menos de um milhão – o que pode em muito ser explicado pela particularidade do público do ORCID. Mas apesar deste maior domínio do ISNI, como os códigos visam atender a públicos diferentes as duas empresas saem ganhando com a colaboração. Um passo importante foi dado neste sentido em 2014, quando as duas empresas assinaram uma parceria para desenvolver o ISNI2ORCID, uma ferramenta que permite àqueles que possuem um identificador numérico ORCID importar seus dados do ISNI para seu perfil ORCID.

Anterior
Pesquisa pura versus Pesquisa aplicada
Próximo
Dicas práticas para planejamento de pesquisa

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *