17

Quem são os pesquisadores mais influentes do mundo?

Todo pesquisador precisa ter o seu trabalho publicado para divulgar seus resultados, avançar seu campo de estudo, e aumentar a sua reputação e prestígio entre os seus colegas de trabalho. Além disso, é preciso salientar que ser um pesquisador altamente citado é tão quão, se não mais importante quanto publicar.

Por que ser citado é tão importante?

De acordo com a professora de gestâo internacional Anne-Wil Harzing da Middlesex University, saber que o seu trabalho é citado ajuda você a se preparar para o seu pedido de promoção, a sua avaliação anual de desempenho ou, mais amplamente, o seu impacto acadêmico. Estar familiarizado com a análise de citações também facilita a “educação” de seu Reitor – ou de outros acadêmicos seniores que possam influenciar o seu futuro – neste tópico.

Mais importante, prestando atenção às suas citações, você pode aprender quem está expandindo o seu trabalho. Dependendo do nível de envolvimento com o seu trabalho (algumas citações podem ser bastante superficiais ou mesmo completamente incorretas), essas pessoas podem ser futuras colaboradoras. Também é valioso ver como os outros estão usando a sua pesquisa; através deles você pode obter novas ideias interessantes. Finalmente, citações – que ocorrerão com muito mais frequência do que publicações – são um bom impulso para o ego. É bom saber que alguém (presumivelmente) leu o seu trabalho e achou importante o suficiente para se referir a ele.

Pesquisadores Altamente Citados

Desde 2014, um dos mais importantes indicadores de citações e impacto no meio científico é a lista de ”Pesquisadores Altamente Citados” publicada anualmente pela Web of Science Group, parte da Clarivate Analytics. Esta lista ajuda a destacar pesquisadores influentes em todo o mundo e identifica cientistas e cientistas sociais que produziram vários trabalhos classificados no top 1% por citações para seu campo, demonstrando influência significativa da pesquisa entre os seus colegas.

Sobre a importância da lista, David Pendlebury, analista sênior de citações do Institute for Scientific Information, diz: “O reconhecimento e o apoio desses pesquisadores excepcionais representam uma atividade importante para os planos de uma nação ou instituição para um avanço eficiente e acelerado. A lista de pesquisadores altamente citados contribui para a identificação de uma pequena fração da população de pesquisadores que amplia significativamente as fronteiras do conhecimento, criando ganhos para a sociedade, inovação e conhecimento que tornam o mundo mais saudável, mais rico, mais sustentável e mais seguro.

Este ano, pela segunda vez, a lista de “Pesquisadores Altamente Citados” contém uma nova categoria entre campos para identificar pesquisadores com influência substancial em vários campos durante o período de 2006 a 2016. Um total de 2.020 pesquisadores com impacto interdisciplinar agora se juntam a outros 4.058 pesquisadores que foram selecionados em um ou mais de 21 campos considerados Indicadores Científicos Essenciais (ESI), como Bioquímica, Engenharia, Física, etc. Por outro lado, contrariamente ao ano de 2017, a Clarivate Analytics não lançou nenhuma lista de Artigos quentes (Hot Papers).

A lista de 2019 inclui 23 recipientes do prêmios Nobel, 6 a mais do que em 2018, incluindo três anunciado este ano: Gregg L. Semenza da Universidade Johns Hopkins (Fisiologia Medicina), John B. Goodenough, do Universidade do Texas em Austin (Química), e Esther Duflo, do Massachusetts Instituto de  ecnologia (Economia). Também incluído nesta lista estão 57 Laureados por Citações – indivíduos reconhecidos pelo Web of Science Group, através de análise de citações, como potenciais ganhadores do Prêmio Nobel.

Principais destaques

As principais conclusões de 2019 mostram que:

– Seis mil duzentos e dezesseis são Pesquisadores altamente citados em vários campos, representando quase 60 nações.

– Os Estados Unidos abrigam o maior número de pesquisadores altamente citados, com 2.737 autores, representando 44% dos pesquisadores da lista. A Universidade de Harvard, lar de 203 pesquisadores, é a instituição com a maior concentração de Pesquisadores Altamente Citados do mundo. A Califórnia também é um centro de talentos, com a Universidade de Stanford (103), e os campos da Universidade da Califórnia em Berkeley, San Diego e Los Angeles abrigam mais de 50 pesquisadores cada.

– Três mil quinhentos e dezessete pesquisadores são comemorados pelo seu desempenho nos 21 ESIs e 2.491 por desempenho em campos interdisciplinares, para um total de 6.008 pesquisadores únicos, pois alguns pesquisadores altamente citados aparecem em mais de um campo. Como mencionado previamente, este é o segundo ano em que pesquisadores com impacto interdisciplinar – aqueles com desempenho amplo excepcional com base em documentos de alto impacto em vários campos – foram identificados.

– Dos pesquisadores nomeados como Altamente Citado nos 21 campos de ESI, 185 ou 5% aparecem em duas categorias de ESI, enquanto 11 pesquisadores excepcionais mostraram desempenho notável ao serem nomeados como Altamente Citado em três categorias. Eles estão baseados em todo o mundo – na América do Norte, Europa, Ásia e Oriente Médio.

As mudanças mais notáveis no mundo científico

É importante destacar o progresso de países como a China e a Austrália. A China continental sofreu um grande aumento, com 636 pesquisadores nomeados Pesquisadores Altamente Comparados, em relação aos 482 em 2018. Nas 21 principais categorias de Indicadores de Ciências Essenciais (ESI), o número de pesquisadores nomeados desde 2014 aumentou três vezes mais. Cientistas chineses subiram para a 2º posição da lista.

O aumento de pesquisadores altamente citados no último ano fez da China a segunda maior concentração de pesquisadores de classe mundial, ultrapassando o Reino Unido. Isso se deve, de acordo com a revista South Morning China Post, ao fato da China ter declarado a sua ambição de se tornar uma superpotência global de tecnologia, com os principais líderes do país – incluindo o presidente Xi Jinping – enfatizando que a ciência e a tecnologia são um dos principais motores do crescimento econômico futuro. Portanto, a falta de grandes talentos e uma fraqueza na pesquisa básica são vistas como um obstáculo à sua busca por conquistas científicas.

Os institutos de pesquisa australianos continuam impressionando. O número de pesquisadores reconhecidos como Altamente Citado mais do que triplicou em seis anos, passando de 80 em 2014 para 271 em 2019, entre os selecionados em um ou mais dos 21 campos. As instituições de pesquisa Australianas parecem ter recrutado um número significativo de pesquisadores altamente citados desde 2014, além de aumentarem o número de pesquisadores locais altamente citados.

Contudo, à medida que a China e a Austrália aumentavam as suas participações de pesquisadores Altamente Citados, outras nações declinavam. O número de pesquisadores Altamente Citados com base em instituições no Reino Unido caiu de 546 em 2018 para 516 este ano. O número de pesquisadores Altamente Citados na Alemanha e na Holanda também caiu.

Finalmente, a lista de 2019 produzida pela Web of Science inclui 6.216 pesquisadores Altamente Citados em vários campos de quase 60 países, embora infelizmente 85% sejam afiliados a instituições de apenas 10 países, mostrando a discrepância científica mundial.

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of