17

Pedidos de financiamento: a arte de saber precificar corretamente seus projetos de pesquisa

This article is also published in English, Turkish, and Russian languages.

O trabalho em ciência é 90% transpiração e 10% inspiração. Você se tornar um pesquisador bem treinado e capacitado representa metade dos requisitos para ser um bom cientista; além disso, é necessário também que você desenvolva perseverança e resiliência para lidar com a constante frustração dos ciclos tentativa-erro inerente ao processo de construção do conhecimento.

Uma das partes mais excitantes na vida de um pesquisador é desenvolver uma linha de pesquisa interessante que poderá avançar o conhecimento do seu campo de estudo. Ainda mais excitante, no entanto, é descobrir que uma ideia é alcançável: ela precisa ser tecnicamente viável e financeiramente não proibitiva. De nada adiantará você ter um plano de como acabar com o desmatamento da Amazônia ou provar a cura de um câncer se o seu projeto de pesquisa demandaria muitos milhões de dólares.

Assim, além de todo o esforço para criar bons projetos, você necessitará também saber quais perguntas são financeiramente viáveis de serem respondidas. Se você não conseguir planejar as finanças do seu projeto de pesquisa adequadamente, de nada adiantará você se esforçar e propor novas perguntas: suas chances de obter um financiamento serão cada vez menores.

Por outro lado, ao descrever um orçamento de um projeto de pesquisa de maneira fiel, você aumenta as suas chances de ter o projeto aprovado. Além disso, tendo seu projeto aprovado, um orçamento detalhado te ajudará a administrá-lo melhor, já que seus custos serão mais previsíveis. Por último, uma vez terminado um projeto com um orçamento bem detalhado, a sua prestação de contas será muito mais fácil e menos trabalhosa.

Em tempos de vacas magras para financiamento de pesquisas, buscar verbas em fontes internacionais tem sido cada vez mais importante. Assim, iremos abordar pontos financeiros importantes de como ter um orçamento vencedor em um pedido de projeto de pesquisa, seja para agências nacionais ou órgãos internacionais.

Como preparar um orçamento de qualidade para um projeto de pesquisa?

Ter um orçamento bem estruturado de um projeto de pesquisa envolve uma descrição detalhada dos custos envolvidos em cada passo de sua execução. Para tal, 3 passos podem te ajudar a desenhar um orçamento fidedigno do seu projeto:

Entenda os requerimentos dos órgãos financiadores

Confira o formato requerido pelo órgão financiador e se há algum padrão de formatação a ser seguido. Siga todas as regras, sem exceções. Caso o órgão não tenha um padrão previamente definido, tente enquadrar o orçamento no padrão exigido para prestação de contas. Manter o orçamento organizado evitará trabalho futuro e trará mais credibilidade a você junto a agência de pesquisa.

No orçamento, tenha uma descrição detalhada de todos gastos previstos para evitar gastar o dinheiro inapropriadamente. Ainda, descreva por qual período o financiamento será utilizado, criando uma linha do tempo para seus gastos. Tente enquadrar o formato do seu orçamento ao nível de detalhamento exigido pelo órgão.

Tenha em mãos todos os custos decorrentes de possíveis colaborações

O trabalho em equipe exige custos muitas vezes não evidentes. Assim, o orçamento de um projeto colaborativo não será apenas a soma dos gastos em pesquisa de cada uma das partes; não esqueça de incluir custos de eventos e viagens para reunir os colaboradores. Além disso, colaborações internacionais podem exigir a contratação de tradutores. Detalhar estes custos demonstra clareza em como desenvolver um projeto multidisciplinar, por exemplo.

Tenha certeza que seu orçamento esteja alinhado com seu projeto

Muitos órgãos de fomento querem uma proposta explicando os objetivos do projeto, como ele será executado e como você prevê resultados. Assim, tenha certeza que seu orçamento esteja de acordo com seu plano de pesquisa e que os custos associados a cada passo estejam refletidos claramente. O detalhamento do orçamento demonstrará maturidade do pesquisador em planejar a condução de cada passo de um projeto de pesquisa, mas também como o pesquisador manejaria a utilização dos recursos obtidos caso o projeto não obtenha resultados esperados e necessite de redirecionamento experimental (portanto, aplicando os recursos em experimentos não previamente esperados).

Destrinche os gastos por tipos de despesas

Quando começar a traçar o orçamento, tenha detalhes discriminados para os gastos operacionais e para gastos eventuais. Em geral, dentre os gastos diretos de um projeto de pesquisa destacam-se: gastos com salários e custos associados, como por exemplo direitos trabalhistas e anúncios para divulgar os empregos associados ao financiamento obtido; e gastos recorrentes, desde consumíveis de laboratório até materiais de escritório e taxas de publicação. Tenha certeza de incluir também gastos não recorrentes, como por exemplo a compra de computadores ou softwares, ou equipamentos específicos para o desenvolvimento do projeto.

Outros gastos que devem ser incluídos no orçamento são gastos com viagens, seja para congressos ou reuniões; e custos indiretos, como por exemplo os custos de manutenção da estrutura física do laboratório, importantes para o desenvolvimento da pesquisa (muito comumente cobrados no exterior, os overheads), e assinaturas de periódicos científicos.

Lembre-se de sempre justificar seu orçamento, uma vez que muitos órgãos internacionais exigem a chamada “narrativa orçamentária” (em uma tradução livre de “budget narrative”). Não se esqueça também de colocar um resumo do orçamento com os itens de consumo.

Ainda, ao descrever seu orçamento, justifique o quão precisas são suas estimativas de custos. Lembre-se que projetos que superestimam custos são malvistos por pedirem mais dinheiro do que o necessário; já projetos que subestimam os custos são malvistos devido a um mal planejamento. Entretanto, você pode superestimar os custos em 15% por exemplo, justificando que esta margem serviria para cobrir possíveis falhas no projeto ou por desvalorização da moeda. Tal estimativa poderia, em realidade, demonstrar que você está alguns passos a frente da agência de pesquisa e planejando a viabilidade do projeto a longo prazo.

Lembre-se também de manter o controle dos seus gastos e suas justificativas. Muitas agências possuem sistemas eletrônicos padronizados para tal, mas caso não seja seu caso, tente ao menos manter uma planilha rastreando os detalhes de determinado gasto, e quanto de verba remanescente ainda existe.

Assim, mantenha o controle do orçamento da sua pesquisa como você mantém o controle sobre os dados resultante dela. Isto certamente lhe trará mais credibilidade e ajudará em futuros pedidos de financiamento.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments
X

Inscreva-se para ler mais

Inscreva-se gratuitamente para obter acesso completo a todos os nossos recursos em pesquisa escrita e publicação acadêmica, incluindo:

  • 2000+ artigos de blogs
  • 50+ Webinars
  • 10+ Podcasts especializados
  • 50+ Infográficos
  • Fórum Q&A
  • 10+ eBooks
  • 10+ Checklists
  • Guias de Pesquisas
[i]
[i]
[i]
[i]