17

Números por escrito: diretrizes para as Ciências Biomédicas (Parte 3)

Esperamos que a esta altura você já esteja familiarizado com as convenções para escrever números na redação formal. Você pode consultar a Parte 1 e a Parte 2 desta série, para uma rápida recapitulação.

Nesta postagem, daremos uma regra simples e algumas exceções a ela para autores da área biomédica.

Embora o estilo dos textos literários seja o de enunciar a maioria dos números, nos textos científicos é de praxe usar numerais quando se pretende transmitir dados numéricos com precisão. O moderno estilo científico trata os números de forma mais consistente, ampliando o uso de numerais para a maioria dos números inteiros de 1 a 9, que antigamente costumavam ser expressos por extenso (“de um a nove”). Este estilo permite que todas as quantidades sejam expressas de maneira similar. Além disso, numerais têm maior visibilidade na leitura do que palavras e aumentam o destaque das quantidades no texto.

Este artigo aborda as diretrizes para o estilo numérico científico recomendadas pelos dois guias de estilo predominantes em Ciências Biomédicas:

  1. Estilo Científico e Formato: O Manual do CSE para Autores e Editores (CSE)
  2. Manual de Estilo da American Medical Association: Um Guia para Autores e Editores (AMA)

Na aplicação real dessas diretrizes, no entanto, quando o bom senso ou o julgamento editorial disser que uma diretriz é uma má escolha para um documento específico, siga o seu bom senso ou julgamento.

Regra geral

Em um texto científico, os algarismos arábicos devem ser usados em preferência a números por extenso quando o número designar qualquer coisa que possa ser contada ou medida.

Por exemplo,

  • Os autores detectaram o VEGF em 12 de 12 amostras de pacientes com NVG.
  • Começamos a experiência com apenas 5 livros (veja a Figura 1).

O restante deste artigo discute seis exceções a essa regra.

Exceção 1: No início de uma frase, título ou cabeçalho

Não se usam numerais para iniciar uma frase, título ou cabeçalho. Se a lógica exigir que um número inicie uma frase, um título ou um cabeçalho, escreva o número por extenso o número. Se possível, reformule a frase para que o número apareça em outro lugar ou junte aquela frase à anterior ou à seguinte.

  • Evitar: 35 cm é a base de neve operacional mínima preferida. No entanto, as áreas de esqui na região de estudo produziram uma base de neve mais espessa (geralmente 50 a 75 cm) no início da temporada de esqui.
  • Pondo o número por extenso: Trinta e cinco centímetros é a base de neve operacional mínima preferida. No entanto, as áreas de esqui na região de estudo produziram uma base de neve mais espessa (geralmente 50 a 75 cm) no início da temporada de esqui.
  • Reformulando a frase: Embora a base de neve operacional mínima preferida seja de 35 cm, as áreas de esqui na região de estudo produziram uma base de neve mais espessa (geralmente 50 a 75 cm) no início da temporada de esqui.

Relacionado: Precisa de dicas sobre redação acadêmica instantânea no seu celular? Baixe o aplicativo móvel GRATUITO Enago Academy agora!

Dica de ortografia (válida para o inglês):

Quando se escrevem numerais por extenso em inglês, coloque hifens nos números de 21 a 99 (de twenty-one a ninety-nine), quando esses números ocorrem isoladamente ou como partes de um número maior. Ao escrever por extenso números maiores que 100, não use vírgulas ou and (“e”). Por exemplo, escreva o número 144 em inglês como one hundred forty-four.

Exceção 2: Números adjacentes

Esta exceção aplica-se a uma situação mais comum em inglês do que em português, pois em inglês são comuns construções do tipo “3 10‑mm sections” (“3 cortes de 10 mm”), mas ocasionalmente isso pode ocorrer em português. Quando dois números são adjacentes, escreva o número mais fácil ou naturalmente expresso por extenso dessa maneira e deixe o outro como um numeral, ou então reformule a frase para separar os números. Em geral, prefira manter como numeral aquele que ocorrer com uma unidade de medida (no exemplo em inglês acima, você escreveria “three 10‑mm sections”).

  • Evitar: Foi medido o conteúdo de gordura de 3 pizzas portuguesas e 3 4 queijos.
  • Pondo um dos números por extenso: Foi medido o conteúdo de gordura de 3 pizzas portuguesas e 3 quatro queijos.
  • Reformulando a frase: Foi medido o conteúdo de gordura de 2 sabores de pizza, portuguesa e 4 queijos, usando 3 pizzas para cada sabor.

Exceção 3: Zero (0) e um (1)

Para estes números, a aplicação de uma lógica consistente (numerais para quantidades e números por extenso em outros casos) pode dificultar decisões sobre o uso correto, pois esses números também são usados de formas mais semelhantes a figuras de linguagem do que a quantificações precisas (“em um dos assuntos…”,“energias de ponto zero”).

Expresse os números inteiros zero e um como numerais somente quando eles:

  • estiverem ligados a uma unidade de medida (1 ano, 1 mm, 0 A, etc.)
  • forem usados como valores atribuídos ou calculados (quando z = 0, uma média de 1)
  • fizerem parte de uma série ou estiverem intimamente ligados a números diferentes de 0 ou 1 (0, 1, 5 e 9 foram…, entre 0 e 2)

Caso contrário, escreva zero e um por extenso nestes casos:

  • “um” usado como artigo
  • um dos médicos (quando “um” puder ser substituído por “um único”)
  • por um lado… (frase de transição)
  • orçamento baseado em zero (termos)
  • um dos quais poderia ter sido o líder (quando a ênfase na quantidade [0 ou 1] seria confusa)

Exceção 4: Uso aceito/expressões idiomáticas

Quando um número é usado idiomaticamente ou dentro de uma figura de linguagem, escreva por extenso; no entanto, da mesma forma que o jargão, as figuras de linguagem podem ser inadequadas para a escrita científica, porque podem não ser facilmente compreendidas por leitores cuja primeira língua não seja a mesma da publicação. A reformulação da frase é geralmente a melhor opção.

  • Evitar: Registramos suas sessões para aprender uma coisa ou 2.
  • Pondo o número por extenso: Registramos suas sessões para aprender uma coisa ou duas.
  • Reformulando a frase: Registramos suas sessões para aprender alguns movimentos.

Exceção 5: Números ordinais

Em geral, escreva por extenso os ordinais correspondentes aos números de 1 a 9, sejam adjetivos ou advérbios.

  • pela nona vez, mas pela 10ª vez
  • foram descobertos pela primeira vez
  • o terceiro teste, mas o 98º teste

Quando houver uma mistura de ordinais de primeiro a nono com números maiores (cardinais ou ordinais), escreva os ordinais menores na forma numérica:

  • Evitar: Estes correspondem aos valores diários entre o dia primeiro e o dia 15 de agosto de 2003.
  • Forma numérica: Estes correspondem aos valores diários entre os dias 1º e 15 de agosto de 2003.

Exceção 6: Frações mais comuns

Em geral, as frações mais comuns devem ser escritas por extenso em texto corrido:

  • metade dos livros
  • quase três quartos da amostra
  • uma maioria de dois terços

Quando o valor preciso deve ser transmitido, a forma decimal ou percentual é preferida.

Você gostaria de fazer um teste rápido para verificar o seu conhecimento sobre o uso de números? Confira estes exercícios fáceis e divertidos do GrammarBook: Exercício 1 e Exercício 2.

Comente abaixo para nos contar como você se saiu! Tudo de bom!

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of