17

Como escrever a seção de Métodos de um artigo científico

Para autores de artigos de pesquisa científica, o objetivo é apresentar seus achados de forma clara e concisa e fornecer informações suficientes para que o experimento possa ser duplicado. Os artigos de pesquisa contêm seções muito específicas, geralmente ditadas pela revista de publicação ou por guias de estilo específicos. Por exemplo, nas ciências sociais e comportamentais, o guia de estilo da Associação Psicológica Americana (APA) é usado para reunir informações sobre como artigo deve ser organizado. Como na maioria dos estilos, o objetivo do guia da APA é garantir que os artigos sejam escritos com o mínimo de distrações para o leitor. Cada artigo de pesquisa deve incluir uma seção detalhada de Métodos (também chamada de “Materiais e Métodos”) após a Introdução, para fornecer ao leitor informações suficientes para julgar se o estudo é válido e reprodutível.

Estrutura

Ao projetar um estudo de pesquisa, os autores geralmente decidem os pontos-chave que estão tentando provar ou a “relação de causa e efeito” entre os objetos do estudo. Colocando de forma bem simples, o estudo é projetado para atingir o objetivo. De acordo com a APA, uma seção de Métodos é composta das três subseções seguintes: participantes, equipamento e procedimentos. Nas ciências biológicas, a seção de Métodos pode ser mais detalhada, mas o objetivo é o mesmo: apresentar o estudo de forma clara e concisa para que seja compreensível e possa ser duplicado.

Se forem usados animais (incluindo seres humanos) ​​no estudo, os autores devem garantir a inclusão de declarações de que foram tratados de acordo com os protocolos descritos para garantir que o tratamento seja o mais humano possível.

  • A Declaração de Helsinque é um conjunto de princípios éticos desenvolvidos pela Associação Médica Mundial para orientar cientistas e médicos em pesquisas médicas envolvendo seres humanos.

Pesquisas usando participantes humanos conduzidas em uma instituição são supervisionadas pelo comitê de revisão institucional (CRI) ao qual a instituição for filiada. Esse comitê é um órgão administrativo cuja finalidade é proteger os direitos e o bem-estar dos seres humanos durante sua participação no estudo.

Pesquisas de literatura

Pesquisas de literatura devem ser feitas para reunir o máximo de informações relevantes de estudos anteriores. Elas são importantes para fornecer provas a respeito do assunto e ajudar a validar a pesquisa. A maioria das pesquisas é realizada usando palavras-chave ou frases para pesquisar bancos de dados relevantes. Por exemplo, tanto o MEDLINE quanto o PubMed fornecem informações sobre literatura biomédica. O Google Scholar, de acordo com a APA, é “uma das melhores fontes disponíveis para um indivíduo iniciar uma pesquisa bibliográfica.” A APA também sugere usar o PsycINFO e refere-se a ele como “o principal banco de dados para localizar artigos em ciências psicológicas e literatura relacionada.”

Os autores devem certificar-se de ter um conjunto de palavras-chave (geralmente retiradas da uma declaração objetiva) para manter o foco e evitar que a pesquisa se distancie do objetivo original. É aconselhável que os autores definam parâmetros limitantes, tais como intervalos de datas, e evitem ser atraídos para a armadilha de usar como referências recursos inválidos, como redes sociais, conversas com pessoas na mesma disciplina ou outras fontes inválidas semelhantes.

Seção de Métodos

Um termo comumente usado de forma incorreta em artigos de pesquisa é “metodologia”. Metodologia refere-se a um ramo da Filosofia da Ciência que lida com métodos científicos, não com os métodos em si, portanto, os autores devem evitar usá-lo. A seguinte lista de subseções principais na seção Métodos não é de forma alguma exaustiva; os autores podem usar subtítulos mais claros para descrever suas pesquisas específicas.

  • Pesquisa bibliográfica: os autores devem citar qualquer fonte que tiver ajudado na escolha de métodos. Os autores devem indicar as épocas de estudos anteriores e seus parâmetros particulares.
  • Participantes do estudo: os autores devem citar a fonte de onde receberam quaisquer indivíduos estudados não humanos. O número de animais utilizados, a idade, o sexo, as condições iniciais e como foram alojados e cuidados, tudo isso deve ser listado. No caso de seres humanos, os autores devem fornecer as características, como localização geográfica, faixas etárias, sexo e histórico médico (se relevante), além do número de indivíduos. Caso tenham sido usados registros hospitalares, os autores devem incluir as informações básicas de saúde dos participantes e as estatísticas vitais no início do estudo. Os autores também devem declarar que o consentimento informado por escrito foi fornecido por cada indivíduo.
  • Critérios de inclusão e exclusão: os autores devem descrever seus critérios de inclusão e exclusão, como foram determinados e quantos indivíduos foram excluídos.
  • Características do grupo (podem ser combinadas com os “participantes do estudo”): os autores devem descrever como o grupo escolhido foi dividido em subgrupos e quais eram as características desses subgrupos, incluindo as características do grupo controle. Os autores também devem descrever qualquer equipamento específico usado, como por exemplo os usados para alojamento e alimentação (geralmente em estudos com animais). Se registros médicos de pacientes forem revisados ​​e avaliados, os autores devem mencionar se a revisão foi cega ou não.
  • Procedimentos: Os autores devem descrever o projeto do estudo. Quaisquer preparações necessárias (como por exemplo, amostras de tecido, drogas) e instrumentos devem ser explicados. Os autores devem descrever como os sujeitos foram “manipulados para responder à questão experimental.” Devem ser incluídos períodos de duração para garantir que os procedimentos sejam claros (como por exemplo, “os ratos receberam a droga XX por 14 dias”). Para animais sacrificados, os métodos utilizados e os protocolos seguidos devem ser delineados.
  • Análise estatística: O tipo de dados, como eles foram medidos e quais testes estatísticos foram realizados, devem ser descritos. (Nota: Esta não é a seção de “resultados”; quaisquer tabelas e figuras relevantes devem ser referenciadas posteriormente.) O software específico usado deve ser citado.

Armadilhas a evitar

Algumas armadilhas comuns podem dificultar a leitura do artigo ou fazer com que os leitores questionem a validade da pesquisa. A Universidade de Califórnia Do Sul fornece algumas orientações.

  • Informações básicas que não são úteis devem ser evitadas.
  • Os autores devem evitar o excesso de detalhes.
  • Os autores devem se concentrar mais em como seu método foi usado para atingir seu objetivo e menos na mecânica.
  • Quaisquer obstáculos enfrentados e como eles foram superados devem ser descritos (frequentemente nas “Limitações do Estudo”). Isso ajudará a validar os resultados.

De acordo com a Universidade de Richmond, os autores devem evitar a inclusão de detalhes muito extensos ou de listas exaustivas dos equipamentos utilizados, pois isso pode fazer os leitores perderem a atenção rapidamente. Esses detalhes desnecessários não acrescentam nada para validar a pesquisa e não ajudam o leitor a entender como o objetivo foi satisfeito. Uma seção de Métodos bem pensada é uma das partes mais importantes do artigo. Os autores devem se lembrar de sempre prepararem um artigo que liste todas as partes da pesquisa realizada e permita que outras pessoas o revisem, e devem revisá-lo para remover qualquer informação supérflua.

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of