17

Como parafrasear de forma eficaz em um trabalho de pesquisa

Ao escrever um trabalho de pesquisa, um pesquisador frequentemente precisará consultar uma publicação anterior e resumir os resultados em uma paráfrase, ou seja, transmitir as informações relevantes daquela outra publicação usando suas próprias palavras. Por quê? Porque citar todo o trecho de interesse ocupará muito espaço e poderá haver muita informação que não é relevante. Além disso, o trecho original pode ter sido escrito em um estilo ou linguagem difícil de compreender pelo seu público-alvo. Aqui estão algumas diretrizes para parafrasear corretamente.

Evite o plágio

Em vez de reescrever um trecho inteiro de um papel, talvez seja possível cortar e colar partes selecionadas, unindo-as de uma maneira que apresente a essência da passagem e ainda pareça natural. Mas isso não é paráfrase. Isso é plágio. Se você copiar trechos de outro trabalho, você deve citar o autor e colocar as partes copiadas entre aspas. Isso geralmente é desajeitado e intrusivo em um trabalho de pesquisa, e é por isso que parafrasear é tão útil.

Use suas próprias palavras

Em um trecho parafraseado, você ainda deve começar mencionando o autor original e, em seguida, resumir o trecho relevante do trabalho do autor com suas próprias palavras e em seu próprio estilo. Por exemplo, “Em seu artigo de 1989, Robinson concluiu isso. . “ Não deve haver nada no trecho parafraseado que tenha sido obviamente copiado do original.

Dar crédito onde devido

Embora os autores originais devam receber crédito pela essência da passagem parafraseada, não lhes dê mais crédito do que eles merecem. Se um trabalho anterior apoiar os achados do seu próprio, há uma tentação de sobrevalorizar o trabalho anterior, dizendo coisas como que os autores “provaram” isso ou aquilo. Mas experimentos científicos não podem provar nada; eles só podem apoiar uma hipótese ou refutar alternativas. Melhor usar uma declaração mais neutra, como “O artigo de Robinson de 1989 apoia fortemente o mecanismo proposto, já que relata isso…”

Não abuse

Quando comecei a escrever como freelancer, descobri que a questão do “uso razoável” (livre do pagamento de direitos autorais) era uma grande preocupação dos autores. Em um trabalho original seu, você tem permissão para citar uma certa extensão de um trabalho protegido por direitos autorais escrito anteriormente, mas se você citar demais, poderá se meter em apuros por violação de direitos autorais. Mas quanto é “demais”? Ninguém sabe. As normas que existem são totalmente vagas e nebulosas. A situação é um pouco semelhante no uso de paráfrases. Elas devem ser só uma pequena fração de um trabalho original. Se o material parafraseado for uma parte importante do seu artigo, este corre o risco de ser visto como derivado do original, um artigo fraco montado nas costas de um mais forte. Um bom artigo sustenta-se por si só, e quaisquer passagens parafraseadas devem estar lá apenas para esclarecê-lo e apoiá-lo.

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of