17

Como estabelecer colaborações de maneira eficiente e com o melhor custo x benefício

Pesquise o artigo, dentro de sua subárea, publicado na revista com o maior fator de impacto no ano anterior e procure pela filiação de todos os seus autores. Existe uma grande probabilidade de que os autores não pertençam a um mesmo instituto, sendo bastante provável que estejam sediados em diferentes países.

Tal fato se deve a alta competitividade na pesquisa e a necessidade de estabelecer colaborações certas para desenvolver trabalhos multidisciplinares. Entretanto, nem sempre é simples de identificar os parceiros corretos para desenvolver um projeto e estabelecer uma colaboração saudável para ambos os lados. Muitas vezes não basta compartilhar interesses de projetos ou ter sobreposição de habilidades em áreas complementares: é necessário encontrar colaboradores que compartilhem também a mesma visão e que se comunique de maneira fácil e clara.

Ainda, colaborar apenas com pessoas do seu país-sede nem sempre supre a necessidade por especialistas em todas as áreas necessárias para o desenvolvimento de um projeto. Assim sendo, a ciência se torna cada vez mais internacionalizada. A internacionalização da ciência certamente é benéfica a todos os projetos, trazendo diversidade cultural, de talentos e de conhecimentos científicos. Entretanto, parcerias internacionais também podem causar atritos entre as partes devido a diferenças culturais e falhas de comunicação.

Para conseguir estabelecer boas e duradouras colaborações, você precisará de uma abordagem estratégica. Abaixo damos algumas dicas de como administrar colaborações de maneira mais eficiente.

Tenha certeza de que precisa colaborar

Não é porque todo mundo colabora que você necessariamente também precisa criar colaborações. De fato, colaborar é trabalhoso e muitas vezes mais caro, e, portanto, é melhor colaborar somente o necessário e tentar alavancar as parcerias existentes. Não é simples encontrar parcerias certas e mesmo que você consiga encontrar, terá que investir na relação com o seu novo parceiro se quiser fazer dar certo.

Além disso, novas colaborações são arriscadas, muitas vezes causando prejuízos ao seu projeto, como a divulgação de dados confidenciais ou até mesmo o roubo de ideias. Assim, antes de pensar no que você pode beneficiar de uma parceria, sempre pense no que pode perder em uma parceria ruim e se está disposto a arriscar.

Ache os parceiros ideais para o desenvolvimento de seu projeto

Muitas vezes você já tem pré-determinado quais os melhores colaboradores para realizar determinadas partes de um projeto. Entretanto, como a ciência é dinâmica e projetos são mudados ao longo dos anos, novos parceiros são adicionados ao longo do caminho. Por isso, mesmo que você tenha alguns parceiros, procure sempre possíveis novos colaboradores que possam melhorar os resultados e garantir uma melhor publicação. Mantenha uma rede de contatos e procure sempre por novidades na sua área em congressos e conferências, sendo esses últimos dois casos as melhores ocasiões para estabelecer contactos pessoais. Se possível, faça uma verificação de antecedentes do seu potencial próximo parceiro e baseie a sua escolha em opiniões de seus colaboradores.

Estabeleça as regras do jogo antes que ele comece

A melhor dica que você pode ter, antes mesmo de pensar em estabelecer uma colaboração é: deixe claro entre todos os colaboradores quais as metas do projeto, como é esperado que cada grupo colabore para o andamento do projeto e quais os benefícios que cada colaborador irá receber caso os objetivos sejam alcançados. Além disso, seja bastante realista: estabeleça metas claras e expectativas para o projeto e para cada colaborador. Tente colocar claramente os lados fortes de cada colaborador e quais habilidades você precisa deles para que o projeto ande de maneira adequada com os prazos do projeto.

Estabeleça ainda um acordo de colaboração formalmente entre as partes. Apesar de parecer desconfortável estabelecer um contrato deste tipo entre parceiros, ele adiciona profissionalismo e clareza a todas as partes envolvidas. Independente das barreiras culturais, todos os pesquisadores estão familiarizados com metas dos projetos, suas responsabilidades para o seu desenvolvimento e com o cronograma e prazos de entrega de relatórios parciais. Estabelecer um acordo de colaboração ajuda a seguir planos diligentemente, assegurar divisão de trabalho de acordo com a recompensa a cada autor e demonstrar uma atitude responsável.

A comunicação eficiente entre todos os colaboradores é essencial para o sucesso do projeto

Ter uma comunicação eficiente elimina trabalho duplicado e ajuda no planejamento de futuros experimentos. Para tal é necessário que inicialmente todo e qualquer resultado seja divulgado e discutido entre os colaboradores. Comunique sempre os resultados negativos: lembre-se, a maior parte do tempo em ciência é dedicado a se estabelecer protocolos otimizados, e isto demanda tempo e testes. Ter resultados negativos ao longo do caminho não significa falha, mas sim uma oportunidade para melhorar processos previamente estabelecidos ou implementar novas metodologias. É comum haver variabilidade experimental entre diferentes laboratórios, e uma boa comunicação entre colaboradores pode ser a chave para resolver eficientemente erros bobos.

Da mesma maneira, reportar resultados positivos de forma eficiente pode fazer o projeto andar mais rapidamente. Um resultado cuja interpretação leva a novas hipóteses pode direcionar a maneira com a qual os colaboradores irão desenhar experimentalmente os seus próximos passos, evitando assim explorar opções desnecessárias e ajudando todos a cumprirem as metas de acordo com o previsto.

Em projetos internacionais, manter uma comunicação eficiente pode ser mais complicado devido a possíveis dificuldades em se encontrar pessoalmente, em relação a diferentes fusos horários ou de língua. Entretanto, atualmente já é possível se comunicar através de vídeo conferências e, caso a barreira da língua ainda seja um problema, utilizar meios escritos com o suporte de programas de tradução automático.

Lembre-se de que você lidará com muitas pessoas com diferentes bagagens culturais e em diferentes momentos da vida acadêmica. Assim, a chance de acontecer algum mal-entendido ao longo de anos de colaboração são altas. Portanto, é fundamental ser flexível e entender se alguns erros são cometidos de boa-fé ou maliciosamente para saber como conduzir tais situações.

Portanto, lembre-se que colaborações são fundamentais e você deve estabelecer uma rede de parceiros com os quais o seu projeto estará salvo para conseguir publicar artigos em revistas de maior fator de impacto. Ainda, saiba sempre avaliar os riscos associados a uma colaboração, mas não se intimide com eles e busque por mais parceiros em eventos científicos e sedimente parcerias saudáveis. No final das contas, a ciência deve ser colaborativa e disseminada ao máximo para progredir mais rapidamente.

Leave a Reply

avatar
  Subscribe  
Notify of