Quais são os critérios de revisão por pares?

28 November 2013  |  Postado em Mundo Editorial Científico, Pensando em Submeter seu Artigo?, Quer Publicar? O que devo saber?   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

A revisão por pares (peer review) é um importante mecanismo na academia, pois define a contratação e a promoção, o veto às publicações e a distribuição de recursos para pesquisa. Como tal, a revisão por pares possui um conceito disciplinar: pesquisadores de uma determinada área julgam pesquisas em termos de critérios definidos por essa área.

O sistema de revisão por pares deve ser pautado no mérito acadêmico-científico-tecnológico do pesquisador ou do curso e utilizar critérios qualitativos, admitindo-se, no entanto, que subsidiariamente se utilizem critérios quantitativos. Os critérios precisam ser amplamente conhecidos (e legitimados), as mudanças requerem amplo debate e precisa haver construção de consensos. Na avaliação por pares, necessariamente, os critérios pertencem à comunidade avaliada e não aos avaliadores, caso contrário, a avaliação não seria realizada por “pares”.

A preocupação central dos árbitros ao avaliar um manuscrito é com o conteúdo e principalmente com os aspectos metodológicos. O autor deve estar preparado para demonstrar seus argumentos de forma consistente, com resultados e conclusões lógicos encadeados e relacionados aos objetivos aos quais se propôs, o que frequentemente não ocorre nos textos rejeitados.

Em segundo lugar, a falta de aprofundamento teórico é a falha mais apontada pelos árbitros. Os autores desconhecem parte da bibliografia do tema sobre o qual pretendem escrever ou não a contextualizam.

Presentation1Em terceiro e quarto lugares são apontadas as falhas de redação e normalização do manuscrito. Desde problemas básicos como: digitação, pontuação, erros ortográficos, até o não uso de normas editoriais da revista. Incorreções de linguagem como a deficiência linguística a falta de encadeamento lógico também são apontados. Apesar de estar em terceiro lugar, este é um dos aspectos que mais incomoda os revisores ao se ler um texto cientifico.

Em quinto lugar de rejeição está o problema de originalidade do manuscrito, que também pode ser considerada uma falha no atendimento às instruções para os autores ou às normas dos periódicos científicos, que já esclarece ser este um quesito obrigatório.

Em sexto lugar está o problema dos instrumentos de estudo. Isso ocorre naqueles manuscritos que apresentam em seus estudos de caso entrevistas com apenas uma pessoa ou um grupo pequeno, sem condições de realizar as análises.

Em último lugar fica a preocupação com os aspectos éticos. As principais situações de erros que os autores cometem em textos científicos são: assumir posição de caráter ideológico, opinativo agressivo e preconceituoso e a falta de informação acerca do termo de consentimento.

Para evitar cometer tais erros, muitos pesquisadores procuram empresas especializadas que oferecem o Serviço de Revisão por Pares (anterior a submissão) e de Suporte à Publicação.

Referências:

Anterior
Motivos para publicar resultados negativos
Próximo
Diferenças entre o inglês americano e britânico

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *