Como escolher o seu orientador

18 February 2014  |  Postado em O Mundo Acadêmico, Textos Acadêmicos   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

Antes de falar sobre a escolha do tema do seu trabalho, é importante lembrar que é preciso escolher qual será o professor que o acompanhará nesta jornada. Escolher um orientador não é tarefa fácil, então como escolher um que vá lhe trazer bons frutos? Repare que esta não é uma decisão fácil, pois existem diversos parâmetros em jogo.

O primeiro passo seria encontrar alguém que atue na sua área de interesse. Para isso você precisa já ter em mente pelo menos um esboço do projeto que pretende desenvolver. Claro que é interessante que você esteja disposto a modificá-lo junto com o orientador, mas saber o que se quer é primordial.

A escolha do Professor Orientador tem que ser tão criteriosa quanto a escolha do tema, afinal é imprescindível que haja uma afinidade entre Orientando e Orientador, pois a jornada é longa e muitas vezes árdua e se faz necessário a boa convivência entre ambos, constituindo um fator motivacional para a pesquisa, em muitos casos.

O Orientador não é um amigo, muito embora isso às vezes aconteça com a convivência. Ele vai colaborar na forma de conselhos, indicações de bibliografias, recomendações sobre o texto escrito, sobre a melhor forma de elaborar o texto e de efetuar a coleta de dados.

Lembre-se que não é obrigação do Orientador escrever o texto para o Orientando, pois isso é de responsabilidade sua e assim deve ser, bem como também é sua responsabilidade escolher o Orientador. Muitas vezes o próprio curso já tem os Professores indicados conforme a linha de pesquisa em que atuam, cabendo a você escolher o Orientador. Para ajudá-lo, seguem abaixo algumas dicas:

  • Pesquise na lista de orientadores que o curso oferece aquele se relaciona com o tema a ser pesquisado;
  • Se estiver em dúvida, consulte o currículo Lattes deste profissional e verifique sua área de pesquisa;
  • Agende uma entrevista que pode ser virtual ou presencial para conversar com seu futuro Orientador. Converse com ele sobre o tema que quer pesquisar e suas expectativas em relação à pesquisa. É aconselhável que se marque com mais de um Orientador para uma escolha mais assertiva.

Os encontros com o Orientador devem ser periódicos. O intervalo de 15 em 15 dias é o ideal para que possa escrever e analisar o que foi escrito. As sugestões e recomendações feitas pelo seu Orientador devem ser acatadas por você, que pode aceitá-las ou não, desde que tenha convicção e argumentação teórica para tal. Caso contrário, lembre-se que a experiência do Orientador é o que conta.

Para um melhor andamento tanto do projeto de pesquisa ou dos escritos da monografia/dissertação/tese, é necessário que haja um cronograma de tarefas e um relatório de orientação. Em muitas Instituições é de praxe usar o relatório. É recomendável que você, em concordância com seu Orientador, utilize o relatório. O cronograma é imprescindível.

Assista também o Video em Inglês abaixo para outras dicas em como escolher seu orientador:

Além do auxílio de um orientador, muitos pesquisadores procuram serviços oferecidos por empresas especializadas que os auxiliam nessa empreitada, oferecendo serviço de Revisão de Inglês, Tradução e avaliação do conteúdo e pesquisa do Artigo Científico (Revisão por Pares).

Referências:

Anterior
Especialistas comentam sobre Your Paper, Your Way! – Uma iniciativa da Elsevier
Próximo
ORCID: Uma atualização de status

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *