Esquema para dificuldades na escrita de artigo

esquema_escritaEmbora o resultado final do texto seja sempre o mais importante, existem truques que são de grande ajuda para tornar o processo de escrita mais produtivo e menos cansativo para o autor. Uma dica importante para isso é organizar suas ideias antes de começar a escrever, de modo a economizar tempo e não dispersar o foco durante o trabalho. O esquema que será descrito a seguir é simples, não foge ao que você já conhece e pode atenuar o estresse na produção de textos – artigo, dissertação ou tese – ao longo da pós-graduação.

Preparando seu esquema

Para começar, abra um documento no Word (ou seu programa de edição de textos preferido) e digite o título, tema ou argumento de seu artigo ou capítulo de dissertação ou tese no topo da página. Crie então uma tabela de três colunas e as divida da seguinte forma: seções/subtópicos à esquerda, fontes ao centro e à direita fontes secundárias/literatura. A coluna da esquerda  será sua guia, na qual você definirá que subtópicos comporão seu texto. No caso de trabalho extensos, como teses e dissertações, o ideal é montar uma tabela para cada capítulo, de modo que o esquema fique mais organizado e seu trabalho de organização seja mais eficaz.

Após definir as seções do texto, posicione o título de cada uma numa linha. Comece então a definir o conteúdo da coluna do meio, distribuindo suas fontes entre os subtópicos. Ao lado de cada um, na coluna do meio, digite citações e dados de cada fonte bibliográfica que aparecerá na respectiva seção. Não se prive aqui de copiar citações completas e indicações específicas de obras. Isso garantirá que ao final da montagem de seu esquema você consega visualizar bem o que comporá cada subtópico. Feito isso, passe para a coluna da direita. Digite aqui suas fontes secundárias – aquelas que não são o coração da argumentação, mas ajudarão a compô-la – usando os mesmo parâmetros de formatação dos dados da coluna do meio. Se não tiver certeza se uma citação ou fonte será central ou secundária em sua argumentação, repita-a na coluna do meio e na da direita para decidir-se depois. O importante é que neste momento você seja capaz de visualizar o material que tem à sua disposição para compor cada subtópico, por isso mesmo, sempre escreva citações completas (evite usar ibid até fechar o conteúdo), inclusive aquelas que pretende usar como nota de rodapé. Se sentir que lhe falta conteúdo, faça nova pesquisa e depois acrescente itens à tabela (nestes casos, sinalize na tabela com a nota “encontrar e substituir” para saber onde deve completar depois).

Comece a escrever!

Uma vez tendo montado seu esquema e sendo capaz de visualizar a prévia do conteúdo de seu texto, é hora de partir para a escrita. Comece imprimindo seu esquema para usá-lo como guia (ou deixe-o aberto em seu navegador para visualizá-lo ao longo do trabalho). Neste primeiro momento, pule a introdução do texto e vá direto às seções definidas no esquema usando as informações das colunas. Monte o esqueleto de cada seção a partir das citações do esquema (com o esquema aberto em sua área de trabalho, basta copiar e colar as citações). Uma vez que o conteúdo das seções que consta no esquema esteja devidamente distribuído, desenvolva as conexões necessárias e dê corpo ao seu texto. Terminadas as seções, escreva a introdução e conclusão.

Este processo de centralizar as informações num esquema prévio lhe ajuda a economizar tempo e manter o foco, já que você não precisará interromper a escrita para rever suas fontes ou buscar novas. Você certamente gastará mais tempo de preparação antes de começar a escrever, mas ao evitar a perda de foco no meio do processo você se tornará mais objetivo e produtivo, um truque infalível para obter um texto final de melhor qualidade. Além disso, sempre que precisar interromper a escrita, você depois se localizará facilmente graças à estrutura do esquema. Ou seja: seguindo esta dica você só tem a ganhar melhorando suas habilidades de organização textual.

Anterior
Qualidade do artigo científico: Métricas de avaliação
Próximo
Como explicar a sua pesquisa para diferentes públicos

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *