Como o Altmetric pode ajudar pesquisadores a medir o impacto individual de um artigo científico?

17 October 2014  |  Postado em Mundo Editorial Científico   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

altmetric_logo_600pxNo contexto acadêmico internacional a qualidade dos artigos científicos costuma ser determinada a partir de índices quantitativos, sendo o mais popular e significativo deles o fator de impacto. Este índice calcula a qualidade dos periódicos a partir do número total de menções que os mesmo recebeu nos dois anos precedentes ao ano base (ano em análise). Para calcular o fator de  impacto, é necessário então dividir o número de menções totais feitas ao periódico pelo número de artigos científicos publicados. Tal cálculo é um dos pontos mais criticados em relação à fórmula do fator de impacto, visto que artigos que recebem poucas citações e são publicados num periódico de alto fator de impacto são beneficiados pela qualidade de artigos mais citados, refletindo numa possível avaliação equivocada da relevância e qualidade dos trabalhos. Outra limitação do fator de impacto é que ele avalia apenas os periódicos listados no Institute for Scientific Information, sendo publicado anualmente no Journal Citation Reports, do instituto Thomson Reuters. Logo, outras fontes são deixadas de fora.

Muitos outros índices e formas de cálculo do impacto de periódicos e artigos científicos têm surgido para fazer frente ao fator de impacto, uma vez que este índice vem sendo muito criticado pelas razões citadas e por suas outras tantas deficiências. Uma interessante ferramenta neste sentido e que foi recentemente lançada é o Altmetric. O diferencial do Altmetric em relação ao fator de impacto e outros índices é que esta ferramenta – que também mede o impacto quantitativo de obras acadêmicas – foca no impacto individual do artigo científico através do número de citações e abrange redes sociais em sua busca, além de contabilizar também fontes tradicionais.

Segundo o site do Altmetric, este índice baseia-se em três grandes fatores: o número de menções individuais de um artigo científico, onde foram feitas tais menções e quem as fez. Ainda segundo o site, a ferramenta captura menções do Twitter, Facebook e Google +, além de bancos online, sites de pós-publicação e avaliação por pares e documentos de domínio público. Obviamente, a ferramenta também possui limitações, sendo capaz de avaliar apenas trabalhos no PubMed, arXiv ou páginas que possuam DOI. Além disso, ela suporta apenas publicações que incorporam em suas páginas o padrão de citação metadados do Google Scholar e a avaliação é mais completa para artigos publicados depois de julho de 2011, particularmente no que compete aos dados provenientes de redes sociais. Ainda assim, através de seu aplicativo que pode ser baixado gratuitamente, o Bookmarklet, o Altmetric permite que pesquisadores descubram o quão popular na web é o artigo científico que estão buscando. Ou seja: que saibam qual o alcance individual do artigo, aspecto difícil de ser determinado de modo absoluto através de outros índices.

Além disso, o Altmetric parte de uma nova realidade, que são as interações diretas na web e a viralização de conteúdo através de meios informais, fatores fundamentais também às trocas de informação no mundo acadêmico. Neste sentido, a ferramenta parece ser bastante promissora no uso rotineiro de pesquisadores que desejam saber durante seu processo de busca online a influência do artigo científico que desejam consultar e em que nichos o material está sendo usado, agregando a noção de formas de uso em rede.

É difícil afirmar com convicção se a proposta trazida pelo Altmetric é a principal tendência de cálculo de impacto para publicações acadêmicas num futuro próximo, mas o fato é que a ferramenta parece estar bastante alinhada às demandas e forma de interações atuais no mundo acadêmico, colocando mais fontes de análise em jogo e focando no impacto individual dos artigos.

Anterior
Publicar em Megajournals é bom ou ruim para os pesquisadores?
Próximo
Como publicar sua pesquisa no formato de livro?

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *