Citation-Stacking:Citação de Artigo Manipulada

Festival SESI Bonecos do Mundo 2012Embora não exista uma tradução exata para o termo em português, citation-stacking significa o mesmo que “empilhamento de citações” ou “amontoamento de citações”. A prática ocorre entre periódicos que estabelecem relações impróprias através da troca de citações – considerada excessiva – entre eles. Tal prática pode ser motivada por um acordo informal entre editores ou por abuso de poder de um periódico mais renomado em relação a outro em condição inferior. O citation-stacking é considerado uma prática imprópria por entender-se que há citações que são feitas para além da necessidade de uso de fontes com fins de aumentar o índice de citação para os periódicos envolvidos. Assim como muitas outras práticas tidas como antiéticas no meio acadêmico, o citation-stacking é fruto da lógica dos bibliometics.

Bibliometrics e citation-stacking

Os bibliometrics  são métodos usados para medir a qualidade de trabalhos acadêmicos a partir da aplicação de dados estatísticos, principalmente a partir de dados fornecidos pelas citações feitas e recebidas pelos pesquisadores e periódicos. O número de citações como principal forma de medição do impacto do periódico e do trabalho de pesquisadores contribui para que muitas distorções ocorram a fim de aumentar a percepção deste impacto. O principal índice internacional de medição da relevância de trabalhos e publicações acadêmicas é o chamado fator de impacto, baseado no número total de citações dos periódicos num dado período. Quanto maior o fator de impacto do periódico no qual uma pesquisa foi publicada, maior credibilidade e relevância é atribuída ao trabalho e aos pesquisadores envolvidos.

Além de se questionar a ocorrência de o fator de impacto não determinar precisamente a relevância das pesquisas a partir de dados individuais dos trabalhos, mas sim do impacto geral do periódico no qual foi feita a publicação, muitas são as estratégias de manipulação deste índice. Uma delas é a citação coercitiva, processo no qual o editor do periódico exerce pressão para que aqueles que desejam publicar façam referências a artigos do mesmo periódico. O citation-stacking é outra forma de manipulação que parte dos próprios editores e geralmente ocorre entre periódicos parceiros, seja por pertencerem a uma mesma editora ou por outros projetos afins. A diferença entre a citação coercitiva e o citation-stacking é que enquanto a primeira prática pode ser deflagrada pela observação de excesso de autocitação, a segunda incorre no excesso de citação cruzada.

Vale a pena?

Diante da observação de tais práticas antiéticas por parte dos periódicos para aumentar seu índice de citação, o Thomson Reuters’ Journal Citation Report (JCR), que realiza a medição do fator de impacto, começou a punir periódicos que incorrem em práticas consideradas excessivas de autocitação e citação cruzada. Em 2013, 37 periódicos foram suspensos por práticas questionáveis de citação e 66 foram banidos permanentemente por citation-stacking.

Neste mesmo ano, um escândalo de citation-stacking ocorreu envolvendo quatro periódicos brasileiros da área médica: Revista da Associação Médica Brasileira, a Clinics, o Jornal Brasileiro de Pneumologia e a Acta Ortopédica Brasileira. Em sua defesa, os periódicos alegaram que a citação cruzada ocorreu de forma espontânea, visto que usaram como fontes pesquisas locais com fins de promovê-las internacionalmente. Os editores envolvidos alegam que a estratégia foi pensada devido à falta de visibilidade dada a pesquisadores brasileiros em rankings de impacto internacionais. Ainda assim, a acusação foi mantida e os quatro periódicos foram punidos com um ano de afastamento pelo JCR.

Este escândalo de citation-stacking no Brasil e a justificativa dada pelos editores envolvidos demonstra os problemas gerados pela medição de impacto através do número de citações dos periódicos. Neste contexto, ficam mais vulneráveis pesquisadores iniciantes, que precisam publicar para ascender profissionalmente, e periódicos de menor visibilidade, ambos alvos fáceis para que editores de grandes periódicos imponham práticas como a citação coercitiva e citation-stacking.

Ainda assim, se pensarmos que o JCR rastreia 10.800 e apenas 66 foram banidos e 37 suspensos em 2013 por práticas irregulares, os números não são tão alarmantes. Porém, novos índices de medição podem demonstrar novas formas de interação suspeitas entre periódicos quanto à prática de citação e que ainda não foram investigadas pelo JCR. Por isso mesmo, a melhor solução para este problema a longo prazo parece ser a mudança dos parâmetros de avaliação da qualidade das pesquisas e periódicos que considerem outros índices além citações.

Anterior
Utilizando Mídias Sociais na pesquisa acadêmica
Próximo
Qual a importância das competições acadêmicas?

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *