Você está Preparado para Cursar a Pós-Graduação?

ApontandoCursar pós-graduação parece uma boa ideia para estudantes que sempre tiraram boas notas, possuem interesse natural em aprofundar seus conhecimentos e gostariam de transformar este potencial num legado científico. A vida entre livros pode parecer entediante para muitos, mas é excitante para quem deseja produzir pesquisa de ponta e influenciar outras gerações com sua produção. Assim como em toda carreira profissional, ser um acadêmico requer vocação, mas será que apenas tal inclinação é o suficiente para cursar pós-graduação?

Bom desempenho intelectual não é tudo

A chamada vocação acadêmica é realmente fundamental para quem deseja cursar pós-graduação, mas não é o suficiente para garantir que você se sentirá realizado ao escolher este caminho profissional. A noção de produzir conhecimento é encantadora para muitos, porém, há muito trabalho envolvido nisso e nem sempre se está preparado para os desafios que surgem no caminho. Muitos não sabem, mas a pós-graduação testa a saúde emocional e saúde mental do pesquisador de forma mais intensa que suas habilidades intelectuais. Num meio em que todos estão num patamar intelectual igualmente elevado e o potencial de cada um passa a ser medido pelo volume e qualidade da produção científica, as habilidades de ordem emocional podem ser o grande diferencial do sucesso na vida acadêmica. Isso porque aqui será exigido de você excelência, foco e aprimoramento constante, e as críticas (muitas vezes duras), são parte fundamental do processo de crescimento profissional.

Para alguns excelentes alunos, sempre reconhecidos em momentos anteriores de sua formação, a pós-graduação pode ser o primeiro momento em que se recebe uma crítica mais dura, e isso não é um desafio fácil de lidar. Por mais inteligente que seja, nem sempre seu trabalho expressará todo o seu potencial, e você pode inclusive ouvir muitas vezes que a qualidade de sua produção é ruim. Pode-se dizer que a pós-graduação é o equivalente acadêmico de um treinamento militar: você primeiro será destituído de todas as suas certezas para depois reconstruí-las de forma mais madura e embasada a fim de poder fazer um trabalho de melhor qualidade. Mas será que você tem condições de ser reerguer depois deste grande abalo sem que isso afete sua saúde emocional?

Montanha russa de emoções

Nem todos possuem o equilíbrio necessário para passar por este teste, e a depender da sensibilidade de cada um, isso pode até atingir a saúde física ou levar a um início de depressão. Por isso, se você é uma pessoa sensível, insegura, que não lida bem com desafios deste tipo, precisa muito da aprovação de terceiros ou gosta muito de agradar os outros, talvez este teste de nervos seja muito difícil para você e é importante refletir se vale a pena passar por tudo isso. Antes de tomar o caminho da pós-graduação, avalie o quanto isso é realmente importante para você: é uma escolha de carreira que realmente deseja ou apenas uma forma de provar para si (e talvez para terceiros) seu potencial intelectual? Uma terapia pode ser benvinda neste momento.

Caso você esteja seguro de que deseja cursar uma pós-graduação pelas razões certas, tenha em mente que é normal ter altos e baixos devido às frustrações que muitas vezes o trabalho provoca por não apresentar os resultados esperados. Também é normal chatear-se com críticas severas de vez em quando, mas lembre-se também que as críticas recebidas priorizam a melhora do seu trabalho e são de cunho profissional, não pessoal. E quando os dias difíceis baterem à sua porta, tenha a certeza de que todos que escolhem esse caminho passam por desilusões e momentos de menor produtividade. Uma boa alternativa para não se sentir solitário diante de seus problemas acadêmicos é conversar sobre o assunto com colegas, que certamente terão frustrações e queixas semelhantes para compartilhar. Mas caso você se sinta esgotado e ache que sua saúde mental e física estejam sendo afetadas pela pressão da pós-graduação, procure ajuda especializada e converse com seu orientador sobre possíveis formas de lidar com o problema.

Anterior
Plágio: difícil de definir, fácil de cometer
Próximo
Estratégia de publicação para a sua pesquisa

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *