Terminologia médica em pesquisas

Nas apresentações de artigos médicos feitos por acadêmicos, os comentários dos membros docentes sobre os temas relatados também abrangem atitudes inadequadas na apresentação e defeitos de terminologia médica. Por serem motivos de obscuridades, ambiguidades e de outros problemas de linguagem que dificultam a compreensão dos relatos, é recomendável conhecer e corrigir esses desalinhos.

Por conta disso, seguem algumas dicas e advertências para que isso não ocorra:

  • Tenha sempre em mãos um catálogo de terminologia médica e um dicionário médico;
  • Compreenda a importância da terminologia médica. Terminologia médica dá aos profissionais de saúde uma linguagem comum para tratar os pacientes;
  • Compreenda as raízes da palavra. A raiz da palavra é a base da palavra e o significado de núcleo. Ela é normalmente encontrada no início ou no meio da palavra;
  • Saiba a diferença entre prefixos e sufixos. Ambos modificam o significado de termos médicos;
  • Lembre-se que as vogais ajudam a facilitar a palavra a ser dita. Uma combinação vogal é usada para tornar a palavra mais fácil de pronunciar;
  • Perceba que haverá alguma memorização. Existem alguns termos médicos que não são construídos de partes de palavras. Nestes casos, o pesquisador deve memorizar toda a palavra e seu significado.

De acordo com estudiosos, é aconselhável ter em mente, dentre outros, os seguintes princípios:

  • Em linguagem, não há o certo nem o errado, visto que existem distintos níveis de linguagem. Há o adequado e o inadequado para cada um desses níveis;
  • Em linguagem, é de bom senso adotar a flexibilidade;
  • A linguagem científica deve ser: exata, para não propiciar equívocos; simples, para que seja bem compreendida; e concisa, para economizar tempo de leitura e de espaço nas publicações;
  • A gramática normativa, por sua formação baseada no padrão culto da língua, é a adequada à linguagem científica formal;
  • É recomendável evitar termos criticados por bons linguistas e usar equivalentes não condenados;
  • Em ciência, é conveniente que haja um só nome para cada coisa;
  • Em geral, seguir regras, isto é, proceder de acordo com a maioria dos usos, é preferível às exceções;
  • Gírias médicas devem ser evitadas em relatos formais;
  • Estrangeirismos são bem-vindos quando necessários e se não houver termos equivalentes em português;
  • Palavras inventadas (neologismos) desnecessariamente e inexistentes nos dicionários, devem ser desconsideradas.

Pelo fato de tais termos ainda serem um desafio, muitos pesquisadores buscam o auxílio de empresas especializadas, as quais oferecem serviço de Revisão em Inglês e Tradução/Versão para o Inglês de Artigos Científicos em Pesquisas Médicas.

Referências:

Anterior
Próximos passos após a aceitação de um artigo científico
Próximo
O que é o GoPubMed e sua importância

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *