O compartilhamento de dados gera conflito de interesses?

share_idea_bannerUma comunidade acadêmica é um grupo colaborativo de profissionais cujo principal objetivo é fomentar o conhecimento. Mas esse modelo tradicional de colaboração tem perdido espaço em um cenário de poucos recursos e altos níveis de competição. Nesse contexto, compartilhar dados é dar munição ao “inimigo”? O compartilhamento implicaria então em conflito de interesses?

Por que compartilhar?

A primeira razão para aderir a essa prática é o benefício à própria pesquisa acadêmica. O compartilhamento de dados trará mais visibilidade para o seu trabalho e poderá facilitar a criação de parcerias com outros pesquisadores.

Outro fator importante é garantir a possibilidade de reprodução da pesquisa, um aspecto indispensável para o desenvolvimento da ciência. Um dos maiores problemas atualmente, principalmente em pesquisas … [Continue Lendo]

Dicas práticas para planejamento de pesquisa

freeimages.co.uk workplace imagesDe acordo com o dicionário, “pesquisa é um conjunto de ações que visam a descoberta de novos conhecimentos em uma determinada área”. O termo descobrir, nos induz entender que, como pesquisadores, iremos lidar com o inédito, ou ainda, agregar novas informações a algo existente. Seja qualquer um dos feitos, a pergunta é por onde vamos começar? Pelo planejamento, é claro!

Pesquisa é uma tarefa árdua, que requer tempo, paciência e dedicação. Embora, todos esses requisitos sejam garantidos, ainda podem existir uma série de fatores que podem destruir ou contribuir com o sucesso. O planejamento serve justamente para isso, prever as condições adversas e definir quais serão os caminhos que devem ser tomados para que tudo der certo e, por fim, … [Continue Lendo]

Pesquisa-ação participante porque utilizar ou não

projeto_comunitarioEmbora o imaginário mais comum do fazer científico muitas vezes esteja associado ao pesquisador erudito que passa muitas horas entre leituras ou testes de laboratório, muitas outras formas de pesquisa demandam uma interação mais intensa com o objeto pesquisado, particularmente se este objeto envolver comunidades humanas específicas. Alguns destes trabalhos encaixam-se na classificação de pesquisa-ação participante.

A pesquisa-ação participante (PAP) foca na solução prática de problemas ao invés de investir esforços apenas em sua investigação. Neste contexto, a noção de “participação” enfatiza o direto envolvimento e colaboração das pessoas que fazem parte da comunidade pesquisada.

A comunidade de interesse

Tido como criador do mérito em 1946, Kurt Lewin defendia a importância da prática social no fazer do pesquisador e, segundo … [Continue Lendo]

Porque aderir ao auto-arquivamento de pesquisa

bibliotecavirtualAs novas tecnologias trouxeram formas alternativas de disponibilizar trabalhos acadêmicos e estão revolucionando o modo como pesquisadores comunicam-se entre si. Além da adaptação de muitos periódicos também para o meio digital – chegando à eliminação da versão impressa por parte de alguns -, a tecnologia já provou que através da digitalização é possível diminuir drasticamente os custos de publicação (e até mesmo zerá-los), no caso dos periódicos de livre acesso.

Esta revolução digital acadêmica tem adquirido nos últimos tempos, novos contornos com as redes e ferramentas sociais, que aumentam a interação entre indivíduos. Graças a estas novas possibilidades muitos pesquisadores estão agora recorrendo ao auto-arquivamento em páginas pessoais para disponibilizar seus trabalhos mais rapidamente à comunidade científica, aumentando … [Continue Lendo]

Qual a importância das competições acadêmicas?

competicaoA prática científica não deve ser caracterizada pela competição entre pesquisadores como principal fim, já que isso pode levar à deturpação de resultados ou dos princípios deste fazer. Porém, em contextos controlados e com regras pré-estabelecidas a competição pode sim ser salutar à Ciência. As competições acadêmicas possuem potencial para inspirar soluções a problemas relevantes e delas podem surgir grandes avanços científicos.

O pioneiro da aviação Charles Lindbergh, por exemplo, foi condecorado em 1927 com o Orteig Prize por ter realizado a façanha de realizar o primeiro voo solitário ininterrupto através do Atlântico. Já o engenheiro aeroespacial Burt Rutan ganhou a competição espacial Azari  X Prize em 2004 por seu avião espacial sub-orbital, o SpaceShipOne, que deu a volta … [Continue Lendo]