Diferenças entre o inglês americano e britânico

26 December 2013  |  Postado em Curiosidades da Linguagem   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

Para a maioria dos pesquisadores, publicar em revistas científicas internacionais é uma grande realização, pois seus trabalhos passam a ser reconhecidos internacionalmente. Entretanto, muitos pesquisadores encontram diante de si a barreira da língua, pois tais revistas são extremamente rígidas no que tange à escrita correta. Um dos grandes desafios enfrentados pelos pesquisadores, além, obviamente, da língua inglesa em si, é a conhecer as diferenças entre o inglês americano e britânico, e qual deve ser usado na hora de elaborar um artigo científico.

Todos sabem que o inglês americano e o inglês britânico têm suas diferenças; a mais visível delas, com certeza, é a pronúncia. De forma semelhante ao que se observa no português do Brasil quando comparado ao de Portugal, as diferenças entre o British e o American English vão desde a pronúncia (principalmente) até o vocabulário, ortografia, gramática e até mesmo diferenças culturais.

Durante a maior parte do século XIX, alguns cidadãos ingleses defendiam a opinião de que os americanos estavam “maculando” ou “corrompendo” sua língua-mãe. Se interpretarmos “maculando” e “corrompendo” por “mudando”, então estes puristas ingleses estavam mesmo  corretos. No entanto, eles não entendiam que a mudança é o destino inevitável de todas as línguas vivas.

O inglês britânico não tem uma Academia da Língua que fixe as normas do idioma. Devido à sua enorme difusão, apresenta vários dialetos, com categoria de línguas nacionais. Entre eles, os dialetos irlandês e escocês. O inglês americano abrange as variedades faladas no Canadá e nos Estados Unidos. Entretanto, qual é o melhor inglês a ser usado em artigos científicos?

Há alguns autores, que sustentam que a versão falada do inglês americano está se tornando cada vez mais dominante por diversas razões. Um exemplo que ilustra por que o inglês americano tem um maior impacto sobre o inglês britânico são os programas de TV americanos. Por conta de tais programas os jovens britânicos que assistem TV irão aprender muito do vocabulário e expressões idiomáticas norte-americanos, que são facilmente internalizados e utilizados como se fossem de sua própria língua. Além do mais, o inglês britânico moderno é muito mais passível de ser influenciado pelo inglês americano do que o contrário, pois, se uma pessoa mora nos E.U.A. e assiste TV, raramente verá um programa ou filme britânico.

Até mesmo nos dias atuais ainda há pessoas comparando o inglês britânico e o americano e discutindo qual é o “melhor tipo de inglês”. Tais discussões, todavia, revelam no final das contas nada mais que uma preferência pessoal de alguém. Defender que uma variedade qualquer de inglês é superior a outra não leva a lugar nenhum e, no final das contas, o melhor inglês para a escrita de artigos científicos é o inglês escrito corretamente.

Por conta disso, muitos pesquisadores que desejam publicar seus artigos em revistas internacionais procuram empresas especializadas na publicação de artigos científicos, as quais oferecem serviços de Revisão de Inglês e também Tradução para o Inglês incluindo uma rodada de revisão por especialistas (PhD) nativos.

Diferenças na Escrita (Inglês Americano e Britânico) – Parte I e II

Referências:

Anterior
Quais são os critérios de revisão por pares?
Próximo
A ética nas publicações científicas

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *