Como Aproveitar As Oportunidades De Estudo E De Pesquisa No Exterior

15 August 2016  |  Postado em Dicas, Dicas para Autores, Mundo Editorial Científico   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

dreamstime_xxl_32357316

Em um determinado momento da vida, você decide que quer estudar ou realizar sua pesquisa no exterior. Fantástico! Essa é uma excelente decisão e os resultados dessa experiência poderão causar grandes mudanças na sua carreira, tanto acadêmica , como profissional. O problema é que uma escolha dessas requer muito planejamento e preparação. Em geral, você precisa providenciar alguns documentos:

• Diploma da etapa anterior de seus estudos;
• Certificado de proficiência na língua estrangeira;
• Aceite da instituição internacional;
• Projeto de pesquisa;
• Comprovante de financiamento.
Neste artigo, abordaremos alguns aspectos sobre a preparação para conseguir as melhores oportunidades de estudo e de pesquisa no exterior.

Preparação Acadêmica
A escolha do curso de graduação ou da área de pesquisa da pós-graduação será determinante para a seleção do local de destino e da instituição para a qual você se candidatará. Durante esse período, seja cuidadoso e paciente, pesquise todas as opções e pense em sua escolha de curso ou tema de pesquisa como algo que fará parte da sua vida por um longo período e que, justamente por isso, precisa ser algo que lhe dê satisfação.
As instituições internacionais costumam ser bastante rígidas com relação ao histórico escolar do aluno. É por isso que candidatos com notas mais altas, boa frequência escolar, além de participação em diferentes atividades tendem a ser vistos como mais interessados ou mais aptos a realizar um bom trabalho. Apesar de muitas pessoas ignorarem esse aspecto, é interessante pensar ainda que as instituições podem observar o histórico de trabalhos voluntários do estudante, podendo considerar esse tópico como um diferencial.

Língua Estrangeira
É imprescindível que você possua relativa fluência na língua inglesa. Independente do local de destino, esse idioma poderá facilitar o seu período de adaptação e permitir que você se comunique com diferentes profissionais, inclusive estrangeiros. Além do mais, o inglês é a principal língua científica, sendo adotado pelos principais periódicos internacionais.
Quando alcançar um bom nível de fluência, realize exames de proficiência como TOEFL ou IELTS, pois eles são reconhecidos pela maioria das instituições.
Outro detalhe importante é que os sistemas de candidatura no exterior solicitam que os documentos sejam traduzidos para o idioma determinado e sempre por meio de um tradutor juramentado. Geralmente, esse processo pode aumentar os custos do projeto, além de necessitar de um prazo confortável a depender da disponibilidade do profissional. O ideal é que você realize a tradução dos documentos o quanto antes, assim poderá se preocupar menos com esse aspecto e dedicar mais tempo a outras solicitações.

Projeto de pesquisa
A elaboração do projeto pode ser complexa, pois pode envolver diferentes interesses, custos e até colaborações. Ele pode ser elaborado de forma independente pelo estudante.
Uma dica muito válida é manter contato com potenciais orientadores no exterior, buscando, dentro das possibilidades, elaborar um projeto que se relacione com os interesses da universidade. Isso pode facilitar a aceitação do projeto.

Admissão em uma instituição internacional
Nem sempre essa etapa é realizada pelo estudante. Há programas internacionais que coletam as informações e os documentos do candidato e procuram universidades e até mesmo financiamentos mais adequados para o perfil de cada um. Quando o estudante não tem essa alternativa, ele deve realizar todo o processo sozinho.
Embora seja cansativa, essa busca não exige muito do candidato, pois as universidades disponibilizam documentos com todas as orientações a respeito da inscrição e da seleção do processo. Muitas dessas instituições, inclusive, têm escritórios direcionados ao atendimento de candidatos estrangeiros, que podem esclarecer dúvidas presencialmente, por telefone ou por e-mail.
É importante lembrar que muitas das aceitações só são validadas quando o estudante comprova a existência de uma fonte de renda para subsidiar o período no exterior. Quando a universidade não oferece bolsas, o estudante deve buscar outros meios de financiamento.

Pesquise oportunidades de financiamento
Sempre que algum órgão disponibiliza recursos para o financiamento de estudos ou de pesquisa no exterior, ele publica editais em meios de comunicação para detalhar as condições para a inscrição, o processo seletivo e o tipo de concessão. É interessante lembrar que antes mesmo de o edital ser divulgado, pode ser que as instituições já informem sobre sua publicação por meio de nota. Essa possibilidade pode ajudar os candidatos, que podem aproveitar esse pequeno período para selecionar ou preparar os documentos necessários de acordo com os interesses e o formato estabelecidos pelo órgão.
Alguns exemplos de instituições que financiam pesquisas no exterior são a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), as Fundações de Amparo à Pesquisa (presentes em vários estados brasileiros), o WWF e o DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico).

Anterior
Como escrever um artigo científico
Próximo
PESQUISANDO NO EXTERIOR

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *