Checklist de tradução: O que o pesquisador deve verificar antes da tradução do artigo?

03 September 2014  |  Postado em Dicas para Autores, Mundo Editorial Científico, Textos Acadêmicos, Versão e Tradução de Artigos   |  Sem Comentário  |  Faça um Comentário

traduçãoVocê se dedicou, pesquisou, cumpriu com todos os requerimentos relativos ao conteúdo e, depois de muito esforço, concluiu o seu artigo. Embora ele já esteja escrito, contudo, o processo ainda está um pouco longe de terminar. A etapa seguinte é uma das mais importantes: a tradução.

E ela tem importância crucial, uma vez que uma tradução mal feita pode colocar todo o seu trabalho a perder. Recriar um texto em outro idioma de forma completamente fiel ao documento original não é uma tarefa nada fácil. Caso os profissionais envolvidos não possuam habilidades suficientes, muito provavelmente haverá distorção e perda parcial do conteúdo.

Você já deve saber que, devido à elevada concorrência, a aprovação das publicações em revistas científicas, jornais e outros tipos de periódicos está cada vez mais difícil. Assim, o mínimo deslize, seja relativo à tradução ou a qualquer outro aspecto, pode levar a uma reprovação.

Para garantir que as traduções dos seus documentos estejam adequadas às exigências dos mais renomados periódicos, observe esse checklist:

    • Competência do tradutor (1): Fluência

Quando se trata de documentos para publicação, os tradutores envolvidos precisam ser nativos. Quem é apenas fluente no idioma desejado tende a cometer falhas que os nativos jamais cometeriam.

    • Competência do tradutor (2): Formação

Mesmo os nativos estão suscetíveis erros, seja por falta de habilidades linguísticas no idioma de origem ou até mesmo no seu próprio idioma. A formação na área capacita o tradutor, transformando-o em um profissional ciente das teorias e técnicas envolvidas. Pessoas especializadas na área de tradução também desenvolvem maiores habilidades gramaticais e de expressão.

    • Competência do tradutor (3): Experiência

A experiência é fundamental. Por mais que o tradutor seja nativo e possua formação na área, a tradução é uma atividade que se aprimora com o tempo, assim como ocorre nas outras profissões. Tradutores experientes sabem, por exemplo, que é importante consultar vários dicionários para encontrar os melhores sinônimos. Eles também sabem que precisa haver consistência, de forma que os termos sejam sempre traduzidos da mesma forma ao longo de todo o documento, evitando que as informações do conteúdo fiquem desconectadas. E a lista das vantagens da experiência segue…

    • Especialização no tema do artigo original

Assim como você precisa ser um especialista para produzir o artigo, o tradutor também necessita, no mínimo, ser um grande entendedor do assunto. Caso contrário, ele poderá encontrar muitas dificuldades para identificar os termos específicos da área. É por isso que o mais indicado é que o tradutor ou ao menos o revisor possua tal especialidade. Lembre-se que os grandes periódicos não tolerarão termos superficiais ou traduzidos de forma inadequada.

    • Revisão

Se a escrita em si já é um trabalho que requer revisão por uma segunda pessoa, imagine a tradução! É extremamente importante que a revisão final seja realizada por um nativo e especialista na área abordada no artigo. Essa pessoa fará as últimas alterações necessárias, garantindo que o documento traduzido pareça ter sido criado originalmente naquele idioma.

  • Formatação

Por último, não se esqueça de verificar se o documento traduzido foi formatado de acordo com os requerimentos exigidos pelo periódico para o qual você está submetendo o artigo. Algumas empresas de tradução como a Ulatus já lhe entregam o documento formatado nos padrões do periódico em questão e oferecem até mesmo um suporte à publicação.

Fique atento a esse checklist e boas publicações!

Anterior
Autoria Acadêmica – Ordem & Regras
Próximo
O que é Revisão por Pares?

Escreva seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *